sábado, 30 de abril de 2011

COM QUE ENTÃO ERA SÓ MÁ-LÍNGUA!!!

Jornal i, primeira página, 30/04/2011
Jornal i, páginas 26 /27, 30/04/2011

Desde 2009 que Tomar a dianteira vem alertando para o comportamento errático da actual maioria relativa, no que se refere nomeadamente à gestão orçamental. Em vez de facultarem informações atempadas, verdadeiras e completas aos eleitores, os senhores autarcas têm-se refugiado no sigilo e nas meias tintas, cochichando por aqui e por ali que "Aquilo é só conversa" "A habitual má-língua", "Não sabem o que dizem" "Iluminados profetas da desgraça" e outras do mesmo estilo. Tudo isto enquanto continuavam a adjudicar obras grandiosas, algumas de utilidade muito duvidosa, que agora não têm dinheiro para pagar. Assim sendo, só os eleitores mais distraídos poderão ficar surpreendidos por ser o próprio secretário de estado da administração autárquica a admitir que a situação é grave e que a falência de alguns municípios é iminente. Na verdade, em terras de gente conservadora, retrógrada e semi-analfabeta (para ser benevolente), é sempre mau ter razão antes do tempo. Ainda assim, Tomar a dianteira não vai deixar de dizer o que tem de ser dito, quer agrade, quer incomode. 
A título complementar, esclarece-se que só no distrito de Santarém há já cinco municípios com a corda ao pescoço, com fortes hipóteses de falência antes do final deste mandato, em 2013, ou até já em 2011. São eles, por ordem alfabética, Alcanena (4 PS, 2 Ind., 1 PSD), Ourém (4 PS, 3 PSD), Santarém (7 PSD, 2 PS), Tomar (3 PSD, 2 PS, 2 Ind.) e Torres Novas (5 PS, 1 PSD, 1 CDU). De todas estas autarquias, só na de Tomar é que há um vereador com um Opel Insígnia novo e para todo o serviço, que o executivo está a pagar em regime de leasing, certamente por não o poder liquidar a pronto. E cinco membros do executivo a tempo inteiro. E mais de 200 telemóveis distribuídos pela autarquia a eleitos e funcionários, entre os quais quatro a de mais de 800 euros cada um. Ele há coisas! 
Questionado sobre este assunto, um autarca da actual coligação admitiu a falta de liquidez e o risco de falência do município tomarense, acrescentando que, de qualquer forma, "Corvêlo de Sousa vai continuar a manter-se impávido e sereno, aparentemente deleitado a assistir ao descalabro, tal como Nero contemplando o incêndio de Roma. Não por mal. Apenas por estar convencido que a sua prestação como autarca é algo de qualidade excepcional."
Há eleitos assim. E quem neles votou, agora não tem de que se queixar. Resta-lhes aguardar pelas próximas autárquicas e então escolher melhor. Se houver por onde.

14 comentários:

Anónimo disse...

É bom que alguns funcionários públicos sintam o que os do privado, há muito vêm vivendo.
Isto ainda não bateu no fundo.
O ordenadozinho no dia 23 é um grande privilégio. Pois é bom que dêm valor ao que tiveram de bandeja!
IS

Anónimo disse...

Como se o senhor vereador da coligação, agora preocupado, não defenda com unhas e dentes a política do seu PS, que nos conduziu ao descalabro. É um case study, certamente, a forma meia neurótica como se querem fazer passar por virgens imaculadas...
Tenham santa paciência e, no mínimo, tenham honestidade intelectual e vergonha na cara para assumir as responsabilidades, porque muito do que vai acontecer às autarquias é o reflexo das políticas completamente descabeladas do governo central, que se fartou de passar a ideia de que viver acima das capacidades do País era modernaço e um exemplo para o mundo. Eram só boas notícias e estatísticas de sucesso e marketing para esconder a incompetência. Se não conseguirem, pensem seriamente em consultar um psiquiatra, no SNS de preferência...sai-nos mais barato, ou, secalhar, não.

Laura Rocha
(Membro da AM, pelo Grupo Independentes por Tomar)

Anónimo disse...

É por isso que nunca iremos a lado nenhum,com estas inteligências. Receber o ordenado de 23 a 23 não é o mesmo que de 30 a 30. São os chamados argumentos da treta e a inveja bacoca, há gente que só se contenta com o mal dos outros, em vez de lutarem pelo seu próprio bem. Há quem tenha bem o que merece.
Fd

Anónimo disse...

O Primeiro Ministro, em duas aparições em locais diferentes, voltou hoje a falar de um País maravilhoso. Não é tempo, finalmente, de anunciar aos portugueses o verdadeiro estado da Nação? Tirem-nos a pele, mas digam a verdade, caramba!

Anónimo disse...

Já não há pachorra para o discurso dos "malandros do função pública". O sr. Carrão é func. público? o sr Paiva reformou-se aos 49 anos por ser func. público? O sr. Relvas enriqueceu a trabalhar no Estado? Os banqueiros que financiaram as auto-estradas (e se bateram por elas, como se bateram pelo TGV e novo aeroporto) e agora recebem uma renda choruda das famosas parcerias público-privadas, são fucionários públicos? Os grandes negócios da banca são feitos com o Estado que se deixa sugar. Idem para os grandes negócios da saúde , por ex. o grupo Mello do Amadora-Sintra. A GALP e a EDP privadíssimas, ganham balúrdios com a cobertura que o Estado dá aos seus preços de monopólio.
O problema do Estado são os privados: func. públicos na clandestinidade.
Se o anónimo das 22:41 não é rico, talvez se cale quando um dia tiver que pagar a saúde, o ensino, a segurança a empresas 100% privados!

Anónimo disse...

para anónimo das 10:41
Tiveram de bandeja? Mas alguem assaltou o Estado? Muitos entraram com os cartões partidários mas a maioria trocou os bons ordenados do privado pele segurança. Se s vida correu mal a algumas empresas não troquem as voltas ao caso.

Anónimo disse...

DEVES ODIAR E TER INVEJA DO POLITÉCNICO HO CONSENCIDADÃO. OS FUNCIONARIOS PUBLICOS TÊM OS ORDENADOS E CARREIRAS CONGELADAS VAI PRA CINCO ANOS E AINDA VER SUBIR A TAXA DA ADSE. TAXAS DE RENTENÇAO A SUBIR E ORDENADOS REDUZIDOS EM 10O, 200 EUROS POE MÊS. É BEM FEITO? SI É MAS SEU TRASTE VOCES PROVADOS SAO A COIRJA DA ECONOMIA PARALELA... SEM FACTURAS TUDO POR BAIXO... VOCES ARRUINARAM O PAIS COM OIS NEGOCIOS ESCUROS... ENCERRA PORTAS E ABRE LOGO OUTRO NEGOCIO E COMPRAM MAIS M CARRO E LUXOS. COM GENTE ASSIM MERDA PARA OS PRIVADOS.

Luis Ferreira disse...

O anónimo que assina como "L.Rocha", que eu não acredito ser por quem se faz passar, pretende apenas esconder o ERRO político fundamental do Grupo de P.Marques: do dizer ao fazer vai uma grande distância.

Duvidam?
Então atentem nestes dois pontos:
1) Quem votou ao lado do PSD a restruturação orgânica dos serviços da autarquia em DEzembro, que aumenta a despesa com CHEFIAS em 400.000€, ao passa-las de 9 para 19 (Cada chefia ganha tanto como um Vereador a tempo inteiro), quando em simultâneo recusou uma "correção" legal dos posicionamentos remuneratorios de TODOS os trabalhadores da autarquia, deafazendo as injustiças cometidas em 12 anos de gestão autocrática do PSD, que custava cerca de 350.000€? - o PS votou contra!

2) Quem através da não substituição de vereadora, sabendo antecipadamente como o PS iria votar o acordo com a PARQUET, que nos poderá custar cerca de 8 MILHÕES€ (que não temos), viabilizou esse mesmo acordo em FEvereiro deste ano? - o PS votou contra!

Esta Câmara será, eventualmente a pior desde o 25 de Abril e, para isso, muito contribui a oposição da TRETA dos independentes. Na discussão da pedra da calçada, da virgula da deliberação e de todo um conjunto de minuências jurídicas, fazem o dia a dia assobiando para o lado, numa atitude de total irresponsabilidade, mas, nos assuntos estratégicos lá estão a ser MULETA do descalabro de Tomar.

Expliquem porque viabilizaram o AUMENTO do número de chefias na Camara de Tomar, quando recusaram fazê-ló aos trabalhadores e porque POR OMISSÃO viabilizaram a futura FALENCIA da Camara pela aprovação do acordo com a PARQUET.

Anónimo disse...

Os Paivas, os Alexandres, os Carrões, os Relvas e semelhantes são escolhidos por Deus, os outros são excluídos, filhos do Diabo.
Muitos são os chamados, poucos são os escolhidos. O povo deves estar feliz porque vota pela felicidade deles e pela miséria do povo. Mas, aqueles que benificiam com a política não entrarão no Reino dos Céus, só vocês que votam para que eles tenham o Paraíso na terra. De que é que se queixam?

António Rebelo disse...

Olha Luís, neste teu último comentário tens toda a razão e estou contigo. Farás no entanto o favor de acrescentar que os eleitos PS também têm culpas no cartório, de duas formas. Uma, porque se coligaram e têm aceitado engolir sapos e outros animais, tudo a bem das respectivas carteiras. Outra, porque em vez de procurarem uma convergência de actuações com os IpT, insistem nas atitudes de comadres desavindas. No que são, de resto, bem correspondidos pela outra parte. Há na política atitudes mais conformes com o respeito por quem vos elegeu.
Uma outra questão, agora que estou a escrever:porque não publicas no teu blogue um balanço sumário das finanças camarárias em 2010, nomeadamente com algum detalhe das receitas e despesas? Se não tens tempo ou pachorra para isso, passa-me uma cópia do documento aprovado na AM e deixa o resto por minha conta. Ou os teus coligados não deixam?

Anónimo disse...

Protesto!
Misturar o doce sorriso e o aceno da Kate com a notícia das autarquias é de um mau gosto intolerável.
Os autarcas são todos cinzentões, salvo algumas autarcas, como a de Rio Maior, ou, noutro nível, a Sanfona.
Que as autarquias vão à falência, ou que os fornecedores e os empregados não recebam, o que é isso perante a influência que o dece sorriso da Kate tem no nosso imaginário.
A doçura não se pode misturar com a rudeza.
The Man

Anónimo disse...

"...de qualquer forma, "Corvêlo de Sousa vai continuar a manter-se impávido e sereno, aparentemente deleitado a assistir ao descalabro, tal como Nero contemplando o incêndio de Roma."

Anónimo disse...

Deixe lá que Sócrates faz o mesmo...tem é muitos telepontos e luíses a cuidar do look.

Anónimo disse...

Senhor Vereador Luís Ferreira
Não terei por certo qualquer problema em responder às dúvidas que coloca. Mas deixe que lhe diga que a ser necessário, revela falta de trabalho de casa. As posições e opções dos Independentes por Tomar, são sempre fundamentadas de forma escrita e distribuídas nos diferentes órgãos autárquicos. Pode discordar das nossas posições, como é evidente, mas é exactamente por isso, que somos Independentes. Mais fazia considerar que temos que votar de acordo com as suas convicções ou agenda política. A nossa marcamos nós, se não se importa. Quanto às virgulas, deixe-me brincar, para lhe dizer que somos amantes da nossa língua, pelo que colocamos muitas e no sítio certo. Quando fala da reestruturação orgânica da CMT, apenas lhe lembro, porque bem sabe, que em tempo útil, e em reunião do executivo, apresentámos contrapropostas, que foram aceites pela maioria que o senhor integra de alma e convicção. Por isso ocupa o cargo de vereador a tempo inteiro. Se discordava delas devia tê-lo dito nessa reunião mas, como também bem sabe, apenas após a sua aprovação na AM e em reunião posterior do executivo se dignou apresentar proposta, por certo por estratégia de marketing, compreendo. Fará como bem entende, que fique claro. Teima em fazer referência à ausência da vereadora Graça Costa. Compreendo, mas gostaria de lhe lembrar igualmente a ausência do vereador Becerra Vitorino, aquando da discussão e aprovação do ORÇAMENTO… um documento muito pouco estratégico e estruturante da vida da Autarquia, que justifica, por certo, a NÃO substituição do senhor vereador. Para concluir, que a prosa vai longa, volto a dizer-lhe, ainda que por outras palavras, que me assusta o nível de endividamento e a ausência de estratégia de desenvolvimento que castiga o concelho, mas estas mais não são do que o retorno da negação de evidências e dos comportamentos megalómanos que alimentaram as máquinas partidárias (PSD/PS) em alternância ou da coligação de que V. Exª faz parte. Aqui chegada, poupe-me ao discurso das boas notícias, da coligação negativa e da culpa é dos outros… Sou pouco apreciadora de ficção científica e viver em Marte ainda não é uma possibilidade.
Quanto ao anonimato, reservo-me o direito de me bastar o nome para confirmar a idoneidade. O que insinua, não faz realmente parte dos meus esquemas mentais, por certo fará dos seus. Tenho muito pouca vocação para “cantoneira”. Quando e se escrevo assino, e o nome me basta.