sábado, 30 de abril de 2011

UM LIVRO APAIXONANTE E INQUIETANTE


Não tenho ilusões, que a idade já não o permite. Escrevo sobre uma obra que só está ao alcance de uma ínfima minoria -a dos francófonos. Ainda bem representada a nível nacional (Carrilho, Barreto, Rosas, Medeiros Ferreira, Soares, Pacheco Pereira, Eduardo Lourenço...), em Tomar nem sei se ainda haverá meia-dúzia. Esperemos.
Trata-se da edição de bolso do livro do economista Daniel Cohen (que alguns julgam poder vir a ser um futuro Nobel) A prosperidade da deformidade, cujo formato original causou furor em França, tendo vendido mais de 70 mil exemplares, sucesso inimaginável para um agreste trabalho de história económica, já vai na segunda edição de bolso...a 6 euros e 95! Até parece que estamos em Portugal!
Para todos os que não vão conseguir lê-lo, pois dificilmente virá a ter uma versão portuguesa, aqui fica a apresentação da contra-capa: Este livro espantoso é uma viagem. Uma viagem através do tempo e do espaço. Uma viagem inquieta. Assediada por uma pergunta: Como e porque é que o Ocidente, que  conseguiu arrancar a humanidade do reino da fome e da miséria, acabou a sua viagem no suicídio colectivo das duas guerras mundiais? Qual é a deformidade escondida que paulatinamente aniquilou a Europa? A questão continua actual. O mundo ocidentaliza-se cada vez mais rapidamente: irão as tragédias europeias repetir-se, na Ásia e alhures? Poderá o planeta evitar um novo desastre, desta vez ecológico? Tal como a crise financeira relembrou, uma incerteza de ordem sistémica paira sobre o capitalismo: sabe para onde vai? para onde arrasta a humanidade?
Aliando erudição e pedagogia, concisão e sentido das fórmulas eficazes, Daniel Cohen descreve-nos a história da humanidade. Um livro apaixonante.

Lida e relida a obra, eis o que me parece ser o extracto do sumo da matéria. 
Porque implodiu a URSS? Por causa da Gorbachov, da perestroica e da glasnost, como é sabido. Mas qual foi a causa próxima desse encadeamento da factos? A guerra virtual. Quando Reagan anunciou aquilo que ficou conhecido como o projecto da "guerra das estrelas", os dirigentes russos perceberam que tinham perdido a corrida aos armamentos. E desistiram. O resto é do domínio público.
E porque caiu o muro de Berlim? Porque implodiram os regimes ditos socialistas na Europa? Como foi possível a democracia em Espanha? Qual a razão do sucesso do 25 de Abril, com menos de 800 militares impreparados para aquela tarefa?
Segundo o autor, a partir de determinada complexidade, qualquer estrutura, dos grandes impérios às pequenas localidades, começa a não responder aos comandos, esboroando-se de forma lenta mas inexorável.
Precisamente o que está a ocorrer, tanto no país como sobretudo em Tomar.
Haverá solução? Julgo que sim. Com os tomarenses. Se eles quiserem. O que não parece ser o caso. Por enquanto?

7 comentários:

Anónimo disse...

António Rebelo afirma que Tomar se está a esboroar, mas vejamos.
O vereador socialista Luís Ferreira, da maçonaria, propõe um debate sobre a viabilidade de Tomar. Rebelo não disse nada, olhou para o lado.
Miguel Relvas, da maçonaria, em entrevista publicada hoje na revista do Diário de Notícias informa dos sete que ocupou e ocupa, omitindo o de presidente da Assembleia Municipal de Tomar, mas referindo o de presidente da Comunidade Urbana do Médio Tejo.
Desde 1812 que a maçonaria tem um plano para desintegrar Portugal através da regionalização. Porque se omite a Assembleia Municipal de Tomar e fala-se da Assembleia do Médio Tejo? Tomar será extinto e integrado em outro concelho, como vem em artigo no Templário assinado pelo Dr. Sérgio Martins?
António Rebeleo é peremptório a afirmar que Miguel Relvas será Ministro de Estado. Ser Ministro de Estado exige grande arcaboiço.
António Rebelo defende muito Luís Ferreira.
António Rebelo será da maçonaria, e será o elo de contacto entre maçons de partidos diferentes mas de objectivos semelhantes?
O FMI e a União Europeia estão nas mãos da maçonaria. As medidas que aqueles vão impor são de empobrecimento individual e nacional, mas os maçons de partidos diferentes não irão aplicá-las? As eleições não são para parolos?
Tomar ainda acaba e os tomarenses não dão por isso.

Anónimo disse...

Inqietante foi o que acabei de ler, sobre a estratégia secreta para os apoios financeiros aos PIGS - Portugal, Grécia, Irlanda e Espanha, escrito pelo presidente do Instituto de Estatística na Alemanha, um dos sábios alemães.
O perigo do Banco Central Europeu estoirar é grande, e com ele estoiraria toda a Europa e o mundo.
Os desequilíbrios nas contas dos Estados, mas também nas contas externas dos PIGS, e os seus efeitos na Europa, são de uma dimensão difícil de recuperar.
Escreve aquele sábio alemão que a comunicação social não está falar dos verdadeiros problemas nos PIGS e na União Europeia. Quando estive na África do Sul (Dezembro de 2009 e Janeiro de 2010) a estudar a situação naquele país e o avanço da China em África, e as prospectivas para os mercados de matéria-primas, e não só, um contacto que mantinha na Austrália alertou-me para a falência da Europa.
Todo o mundo via a falência da Europa menos os europeus.
Robert Malthus está de volta. Como dizia este padre inglês, as crises económicas resolvem-se com doenças, epidemias e guerras.
SÉRGIO MARTINS

Anónimo disse...

Miguel Relvas NÃO faz parte da Assembleia do Médio Tejo, portanto não pode afirmar-se sequer seu presidente!

E eu a pensar que quem mentia era só o Zé Sócrates!

Afinal há mais mentirosos!!!!!!

António Rebelo disse...

Para anónimo em 11:07

Não tenha qualquer dúvida! Eu sou maçon e a sua tia é a padroeira de Lavacolhos, no concelho da Guarda, enquanto não é promovida a cardeal-arcebispo de Buenos Aires. Por causa do tango...

Anónimo disse...

Ó Tó, este também é Cohen, não Cohn! Esse é o Cohn-Bendit, de primeiro nome Daniel, agora eurodeputado, antigamente o da fotografia do sorriso malandro para o polícia no Maio de 68!
A propósito, onde é que tu estavas no Maio de 68?
Espera, deixa-me adivinhar: foste o oráculo do movimento...!!!

Esta não é para publicar! É só para leres e eliminares!

Anónimo disse...

Rebelo, perdeu o "fair-play ? Só foi colocada uma questão, passou-se, mas não falou sobre a proposta de debate sobre a viabilidade de Tomar. Por outro lado, não é tango, é conversa da tanga. Não viu o que o Pedro Santana Lopes disse ontem na TVI sobre a entrevista do Secretário Geral do PSD, sem referir o nome, mas que é o Miguel Relvas ? O Santana Lopes criticou a entrevista do Miguelito, considerando que ela não é própria para uma fase de campanha eleitoral. O Miguelito só quer que falem e tenham afecto por ele, porque, como ele diz, tem medo da solidão. O poder exige solidão. Levem-no ao Freud.
Leu o que foi escrito no Diário de Notícias de ontem sobre como o PSD de Coelho e Relvas sabe escrever "Manuais de como perder eleições"?
No Expresso vem Miguel Relvas entre o cem mais influenstes no país: com tanta influência o que é que ele fez por Tomar e pelo distrito? E o que é que Tomar e o distrito têm feito por Relvas?

Anónimo disse...

"...Segundo o autor, a partir de determinada complexidade, qualquer estrutura, dos grandes impérios às pequenas localidades, começa a não responder aos comandos, esboroando-se de forma lenta mas inexorável."

Miguel Relvas que o diga!