quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Acentua-se a divisão interna no PSD/Tomar

Restam poucas horas. Vote! >>>

Continua a provocar estragos a recente decisão da CP nacional laranja, impondo Carlos Carrão como cabeça de lista em Tomar. Como no tempo da outra senhora, em que era Lisboa a nomear o presidente dos tomarenses, ouvida a "boa sociedade frequentadora do Café Paraíso". Quatro décadas depois, pelo menos para o PSD, a tradição ainda é o que era. A agravar a situação e contrariando o que fora dito em Lisboa -que a CP nabantina podia indicar o 2º e o terceiro da lista- o actual presidente da edilidade apressou-se a esclarecer, citado pela Hertz, que não abdicava do direito de escolher a sua equipa.
Em vez de procurar serenar os ànimos, numa altura em que são já nítidas as divisões internas, com adeptos de cada um dos propostos candidatos a garantir que não fará campanha nem votará no outro, os afectos à CP local esclareceram agora, noticia a mesma fonte, que aguardam a decisão da CP distrital, liderada pela presidente da câmara de Rio Maior.
Contactada por aquela rádio, a citada distrital foi convencional: limitou-se a chutar para fora, garantindo que o assunto está a ser ponderado, aguardando-se uma decisão para breve. Que outra coisa poderia ter dito, quando também na urbe escalabitana é evidente a divisão entre os que apoiam a CP/Tomar e os que estão com a CP nacional, não sendo possível nesta altura antever qual possa vir a ser a decisão santarena e ainda menos as consequências dai resultantes.
Fractura interna em Tomar? Demissão em bloco da CP local? O melhor para o partido, para os tomarenses e mesmo para os adversários, (que ficariam a saber mais cedo com quem teriam de se bater), seria a negociação, com todos sentados à mesma mesa e moderados por quem tenha natural ascendente político sobre o conjunto, adquirido em décadas de actividade. Infelizmente, o passado já demonstrou, nomeadamente no caso da falecida coligação local com o PS, que os membros da actual maioria relativa se recusam a negociar, preferindo as rupturas. Não parece sr  o melhor caminho,  mormente  nestes conturbados tempos de crise, que não pára de se agravar.

2 comentários:

tomarense d disse...

Mas que grande palhaçada que vão ser as próximas eleiçoes.
Todos os partidos sem excepção a optarem pelas clientelas partidarias nas suas listas, em detrimento do interesse de Tomar e dos seus habitantes.
Um bom exemplo dos MAUS politicos neste País à beira da falência.
As pessoas caso tenham um pouco de juizo(que duvido) nem iam votar. Uma vergonha....

Pata Brava Tomarense disse...

Professor e que tal um desafio?
Um dos palestrantes é o ilustre mandatário financeiro dos IpT a quem se augura um brilhante futuro na política tomarense pelo menos a ver-se pela dentadura cavalar. Vá à Golegã para lhe colocar algumas questões: http://portal.ipt.pt/portal/index.html?ctrl:cmd=render&ctrl:mode=view&ctrl:window=instituto.imprensa.eventos.EventosWindow&evento.nome=Ciclo-conferencias-cespoga-empreendedorismo-futuro-territorios