quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Promoção turística


Enquanto a nível nacional o governo, através do ministério da economia, decide implementar medidas, nomeadamente na área fiscal, tendentes a facilitar a compra por estrangeiros reformados de segunda habitação em Portugal, aqui na urbe templária, cuja autarquia a proclama importante cidade turística, é o que está à vista. Alguém arriscará comprar o apartamento à venda, depois de ter visto o estado caótico da entrada? Só se for louco. 
Por conseguinte, enquanto o governo PSD procura estimular a economia, a câmara PSD nada faz para ajudar. Uns aceleram, outros travam. Entendam-se senhores!
E se o proprietário resolver processar o município, invocando sérios prejuízos, causados pelo estado miserável da calçada durante meses? Que poderá argumentar o advogado síndico? Falta de verba? Falta de pessoal? Falta de tempo? Falta de vontade? Falta de autoridade? Falta de vergonha? Um pouco de tudo?
Visite Tomar, cidade acolhedora.

3 comentários:

templario disse...

DE: Cantoneiro da Borda da Estrada

Essa é boa!

Essa promoção do governo é, antes, promoção dos bancos.

Para venderem as habitações que milhares de portugueses deixaram de poder pagar, devolvendo-as ou penhoradas.

Uma pequena diferença, que faz toda a diferença...

António Rebelo disse...

Diferentes maneiras de ver. Uma coisa não impede a outra.

Um abraço

Leão_da_Estrela disse...

Não me causa engulhos nenhuns, essa medida, até porque os endinheirados estranjas não vêm comprar apartamentos entregues aos bancos, virão sim, se a coisa correr de feição, comprar habitação em locais a que se habituou chamar de luxo.
É claro que isso interessa aos bancos, mas interessa também aos empresários, que se veriam livres de habitações devolutas e a deteriorarem-se, desvalorizando e às respectivas hipotecas e os consequentes juros e ainda entraria dinheiro no País.

Só não entendo uma coisa e eu não sou conhecido por defender a malta do dinheiro: a estes turistas dá-se incentivos fiscais e aos tugas que têm habitações semelhantes, de luxo, obriga-se-lhes a pagar uma taxa suplementar. Diabo, há aqui qualquer coisa que não bate certo...
Ainda havemos de ver uma manifestação dos tios e tias da Quinta da Marinha frente aos ministérios do Gaspar e do Álvaro a reivindicar condições iguais às dos seus pares, ainda por cima parte deles uns pelintras reformados duma qualquer metalúrgica alemã. Ele há com cada uma...

Valha-nos Santa Bárbara

Cordialmente