quarta-feira, 11 de maio de 2011

A EUROPA AQUI TÃO PERTO, MAS LÁ TÃO LONGE

Nouvel Observateur, 05/05/2011

Uma vez que geograficamente nos situamos na Europa e dado que até fomos admitidos (com alguma relutância, diga-se...) na União Europeia e na moeda única, os nossos políticos não se cansam de tentar tirar partido desses factos. É ouvi-los, na TV ou nos comícios. Uns prometem manter e melhorar o Estado Social, não despedir funcionários públicos, nem aumentar os impostos. Fica uma pessoa sem saber como vão cumprir o estipulado no convénio de ajuda externa, que já assinaram e até garantiram que era um bom acordo.
Outros, mais tipo "mula velha", vão falando de abuso, de roubo, de perda de soberania, sem porém explicarem como ultrapassar a nossa lamentável situação financeira mantendo as actuais benesses.
No fundo, a situação de sempre, sobretudo após o 25 de Abril. Emprego para toda a vida é com o Estado, saúde gratuita é com o Estado, ensino gratuito é com o Estado, cultura é com o Estado, financiamento das autarquias é com o Estado, desemprego é com o Estado, pensões é com o Estado, desporto é com o Estado. É praticamente tudo com o Estado. Pagar é que ninguém quer. Só não "foge", eufemismo para "aldraba" ou "rouba", quem de todo não pode. Dentro daquele característico âmbito mental portuga, bem patente nas máximas "O patrão paga mal, mas também se lixa que é mal servido" ou "Se eu não saco, sacam os outros...", verdadeiras cartilhas de largas camadas da nossa adorada população.
Entretanto já vamos no 3º pedido de ajuda externa, em menos de 40 anos. Ah valentes!  Para europeus, há africanos que se portam melhor em termos económicos. Adiante... que Marrocos é logo ali em baixo!
É hoje um lugar comum afirmar que "Vale mais uma imagem que mil palavras", pela simples razão que, com o advento do digital, tudo é imediatamente transponível para os meios de informação, ao contrádo do que acontecia há 50 anos, quando Jean François Revel escandalizou muitos exilados portugueses em França, ao escrever, no L'Express, que o país mais parecido, em termos económicos e políticos, com a Polónia comunista, era o Portugal de Salazar.
O tempos são agora outros, de tal forma que Soares dos Santos é actualmente o merceeiro-mor polaco, como Belmiro de Azevedo em Portugal. As voltas que o Mundo dá! Ainda assim, na senda do acima escrito sobre as imagens, resolvi recorrer a um recorte da imprensa, para os leitores compreenderem melhor a nossa triste situação, bem como o longo caminho que vamos ter de percorrer, para alinharmos com os europeus "lá de cima". De além-Pirinéus, que é menos chocante, julgo eu.
Claro que o texto está em francês, agora quase um dialecto bárbaro para muitos portugueses, quando foi durante séculos a língua universal de cultura. Os tempos mudam...

"Hollande mais barato"

"A campanha oficial para as eleições primárias no PS [destinadas a escolher o candidato socialista às presidenciais francesas de Maio de 2012] ainda não começou, mas François Hollande [anterior Sócrates do PS francês, entretanto substituído por Martine Aubry, filha de Jacques Delors, ex-presidente da Comissão Europeia] já arrancou.  Como financiar os seus comícios eleitorais, sem dispor ainda do financiamento prometido pelo PS? O primeiro, que teve lugar em Clichy-la-Garenne, no passado dia 27 de Abril, foi pago com as cotas dos aderentes da sua associação de apoio, "Responder à esquerda".
Vantagem: O cine-teatro municipal onde se realizou concedeu a Hollande a tarifa reservada às associações: "Mil e 500 euros tudo incluído (sala, som, segurança...), acrescidos de 60 euros para o seguro de responsabilidade civil", explicitou Faouzi Lamdaoui, responsável da intendência do ex-primeiro secretário socialista."
Numa câmara de maioria socialista, vejam lá bem! Fez-me tanta impressão que até estive para lhes sugerir que os futuros comícios se realizassem aqui em Tomar, no Cine-Teatro Paraíso, no Auditório da Biblioteca Municipal, ou no Pavilhão Municipal, que é geralmente tudo à borla. Pensa o pessoal cá do sitio...quando lhe acontece pensar, o que me parece ser raro. Depois mudei de opinião. Ainda se fosse para comícios do Partido Popular Europeu, de que fazem parte tanto a UMP de Sarkozy como o PSD, podia muito bem ser que a autarquia tomarense pagasse as viagens e as despesas hoteleiras, alegando que era para a promoção do turismo. Agora assim,  com as viagens de avião e restantes custos, adeus ganho que só davas prejuízo aos socialistas franceses. Em todo o caso, aqui fica a informação, para que os tomarenses possam perceber de onde vem a dívida monumental da câmara -Da mania das grandezas, das borlas, da crença antiga segundo a qual é tudo com o Estado, ou ainda da ideia fixa implícita de que "Deus Nosso Senhor tem lá muito para nos dar..." Por este caminho, havemos de ir longe!

8 comentários:

Funiculin disse...

E a utilização do dito Estádio Municipal de Tomar onde os futebolistas nada pagam?

Anónimo disse...

Caro Professor:
O autor do comentário que segue, João Miguel Tavares, usa requinte no texto. Gostava de ler a avaliação do Professor. Pode ser?
Obrigado

"Peço desculpa por tudo. Sócrates, tu és o maior

Durante os últimos seis anos eu escrevi textos críticos, violentos, impiedosos sobre o primeiro-ministro. Chegou o momento de me penitenciar por tudo aquilo que disse, por todos os textos que assinei contra a sua pessoa, apenas porque me faltou a clareza de espírito e a inteligência para perceber o quanto ele estava a trabalhar pelo bem do país.

Somente agora, ao ler o memorando da troika para os próximos anos, me dei conta de que o nosso primeiro-ministro é um visionário e um génio da governação. Sócrates arrastou o país até à beira da insolvência e colocou a pátria a chafurdar na lama apenas para a poder reestruturar de cima a baixo. Sempre pensei que ele fosse o vírus, e afinal é a vacina: injectou no nosso corpo a maleita para que nunca mais fiquemos doentes.


Reparem como Manuela Ferreira Leite acabou por ganhar ontem as eleições legislativas de 2009. Tudo o que ela disse na campanha que ia acontecer, aconteceu; tudo o que ela disse que era preciso fazer, vai ser feito. Chamar "memorando" ao documento da troika é o mesmo que chamar "malandreco" a Bin Laden. Aquilo é o programa do governo para os próximos anos, que revoluciona Portugal em todos os sectores que contam: economia, saúde, justiça, educação.


Em vez de gastar milhões em estudos e consultores, Sócrates arranjou uma equipa de técnicos altamente qualificados que trabalharam de graça e no final ainda emprestaram 78 mil milhões de euros. O resultado está à vista: o programa com que a direita liberal sempre sonhou vai finalmente ser aplicado em Portugal. Sócrates, afinal, era um lobo neoliberal vestido na pele de um cordeiro socialista. A sua incompetência, o seu cinismo, as suas mentiras, eram apenas o estrume necessário para que um novo país crescesse forte e viçoso. Só tenho duas palavras para ele: obrigado, José".

João Miguel Tavares, no Correio da Manhã de 6 de Maio

António Rebelo disse...

Para comentário das 17:34

Entendo que se trata de uma peça muito bem escrita, subtil e sumamente irónica, que aponta exactamente os grandes erros do governo de Sócrates. Noto apenas uma incongruência, na frase "Peço desculpa por tudo. Sócrates tu és o maior...", uma vez que logo a seguir usa o implícito "você" até final.
Para além do assinalado na peça, há ainda uma outra vertente:o candidato Sócrates vai continuar a prometer e a garantir tudo e mais alguma coisa, sem nunca explicar de onde poderá vir o financiamento... Por isso, na hora de votar, todo o cuidado é pouco. O tempo da banha da cobra já lá vai...

Anónimo disse...

Haverá maneira de procurar saber junto do sr. professor Marcelo a sua opinião sobre a opinião do sr. professor Rebelo?
É curioso como um "primeiro" que criou fama de controlar os media tem todos os comentadores "da praça" (a dita intelligentia nacional) a zurzir-lhe as acções governativas às claras, como Rebelo ou disfarçados como Marcelo. E em plena pré-campanha eleitoral! E temos ainda o sr. prof. Carrilho (que até se diz do PS), Santana, o arquitecto Saraiva, J.Fernandes ou o Dr. Balsemão, este com outro nível!
E ainda as alfinetadas permanentes de Cavaco.
Felizmente o voto é do povo, não é dos intelectuais!

Anónimo disse...

Professor!
O Senhor pode orgulhar-se por ser frontal, dizendo claramente o que pensa, ao contrário de muitos que, por interesses pessoais, hoje dizem uma coisa, amanhã outra.
Alguns dos comentários que são aqui colocados não passam de inveja, ou dor de cotovelo.
Gente bem formada é outra coisa!
Obrigado

Anónimo disse...

E a maioria silenciosa do povo vota Sócrates.

Anónimo disse...

Banha da cobra...
Temos do lado do candidato Zézito, mas também temos do lado do Pedrito.
Não há pachorra. Venha depressa um governo europeu pois já percebemos aonde este filme nos levará.

Anónimo disse...

Pois é o Povo gosta de ser enganado, embora a frase politicamente correcta é dizer o contrário. Nas ultimas eleições á cerca de dois anos o Sócrates já mentia muito e a máquina levou-o á vitória, tal como agora pretendem. Nesta dois anos veio a banca rota se por mero descuido dos Portugueses Sócrates ganhar Portugal vai perder a sua independência económica por muitos anos. Mas o Povo é sereno e soberano, mesmo quando gosta aparentemente de ser enganado.