quarta-feira, 18 de maio de 2011

VAI COMEÇAR A VIA DOLOROSA DOS AUTARCAS TOMARENSES RUMO AO CALVÁRIO


Ilustração Correio da Manhã
Como é habitual neste país e nesta terra, tende-se a ver os agreiros nos olhos dos  outros, ignorando as trancas nos próprios. Não falta quem acuse Relvas como mentor e causador de tudo o que corre mal em Tomar. Eu próprio fui dos primeiros a fazê-lo e mantenho essa opinião. Todavia, ao contrário da opinião generalizada, considero que o principal problema não é agora tanto a coligação e os antecedentes, mas quase exclusivamente o que dela fizeram e o modo como funciona...ou não. Dito isto, convém ter em mente que durante este mandato a maioria relativa PSD, acolitada pelos eleitos PS. tem enveredado por caminhos incompatíveis com o contexto económico-social reinante.
Continuaram a adjudicar obras sumptuárias, contrataram mais pessoal, alargaram o quadro de chefias, aumentaram para 5 os autarcas a tempo inteiro, multiplicaram os gabinetes, implementaram os transportes colectivos, compraram um novo autocarro, etc. etc etc. Agiram em suma na crença implícita de que a crise era uma coisa passageira, após a qual tudo voltaria a ser como dantes e que, de qualquer maneira, o importante é gastar, que depois alguém há-de pagar. Enganaram-se redondamente e agora vão sofrer bastante para levar a cruz ao calvário, em Outubro de 2013.
Eventualmente por falta de recursos humanos, de hábito e, num caso ou outro, por conveniência política, os jornais locais e regionais ainda não julgaram útil sintetizar o protocolo assinado com a troika, no que se refere às medidas previstas para os municípios. Constatando o facto, Tomar a dianteira foi ler e mastigar o documento.
Vai ser duro, duro, duro! Aqui há tempos, respondendo por ofício a recomendações da inspecção autárquica, o vereador Carrão disse que as citadas medidas "serão cumpridas na medida do possível". Agora com a troika e de acordo com o protocolo subscrito, esse tempo já lá vai e não volta. "A entrega trimestral de ajuda financeira pelo MEEF, ficará sujeita a análises trimestrais dos condicionalismos em toda a duração do programa. A primeira análise será realizada no 3º trimestre de 2011 e a 12ª e última no 2º trimestre de 2014. ... ... Se os objectivos definidos não forem cumpridos, ou caso se antecipe que os objectivos não sejam cumpridos, será tomada decisão adicional. As autoridades comprometem-se a consultar a Comissão Europeia, o BCE e o FMI sobre a adopção de medidas que não sejam consistentes com este Memorando." Por outras palavras, é inútil tentar fugir com o dito à seringa, porque virá logo outra ainda mais dolorosa. E  nada de iniciativas sem avisar os patrões.
Indo agora às medidas específicas já elencadas e de cumprimento obrigatório e rigoroso, temos: Menos 15% nas transferências a receber pela autarquia (1.14 do documento); reduzir o número de gabinetes municipais em pelo menos 20% ao ano, em 2012 e 2013 (3.32 II.); Redução em pelo menos 2% dos funcionários autárquicos (III 1.9); Congelar salários em 2012 e 2013 e restringir as promoções (VIII 1.9); Reorganizar a administração dos governos locais. Existem actualmente 308 municípios e 4259 freguesias. Até Julho de 2012, o governo irá desenvolver um plano de consolidação para reorganizar e reduzir significativamente o número destas entidades. O Governo aplicará estes planos mediante acordo prévio dos representantes da CE e do FMI. Estas alterações entrarão em vigor até ao início do próximo ciclo eleitoral autárquico. (3.43). Cada município fica obrigado a reduzir os seus quadros de gestão...em pelo menos 15% até ao final de 2012 (3.40).
Resumindo, para todos entenderem, vêm aí tempos extremamente difíceis para o Município de Tomar. 1 - Vai receber menos 15% em relação ao ano anterior, nas habituais transferências do governo; 2 - Terá de congelar os salários e limitar drasticamente as promoções até pelo menos Dezembro de 2013; 3 -Terá de conseguir reduzir o efectivo autárquico em pelo menos 10 funcionários/ano, num total de 30 em 2013; 4 - Em cada 10 gabinetes agora existentes, 8 estão condenados; 5 - Terá de apresentar um plano detalhado de redução de departamentos e divisões em pelo menos 15%, com supressão dos respectivos cargos de chefia.

Aqui fica a resenha, para todos os fins que se considerem úteis. Agora, habituem-se e façam o favor de agir em consequência. Ou então passem as cornetas a outros! Eu bem fui avisando, desde 2008, que a crise era grave e longa. Não quiseram acreditar e agora olha! Aguentem-se!

13 comentários:

Anónimo disse...

Tanto os autarcas do PSD como do PS vão ficar realmente na história do pós 25 de Abril, com sua atitude e gestão dando o golpe final em Tomar. A Comissão Politica do PSD tem um problema que herdou, de que dificilmente se vai livrar, mas a do PS é suicida, pois foi ela que o criou ao apoiar a continuação deste acordo negativo, em que só ganham alguns dos seus autarcas, mas o Município sai claramente prejudicado com a atitude do PS, que funciona assim como a bengala da desgraça de Tomar.
Temos assim a geração Tomar (PS) a lixar isto tudo a juntar ao Sócrates, que lixou todo o País.
Como o País está maluco as sondagens vão dando os resultados que se conhecem, mas a ver vamos na noite de 5 de Junho.

Anónimo disse...

TOMAR TEM MAIS ENCANTO COM O A. REBELO

Anónimo disse...

Reduzir as chefias? Está explicado então o aumento de divisões ocorrido recentente no município. Agora reduzem-se de novo e os boys já têm o ordenado garantido.

Cabecinhas pensadoras...

Anónimo disse...

Poder-se-á dizer :

REBELO lava mais branco !

Que tentativa chocante de branquear RELVAS e PAIVA,os dois principais rostos do desvario e da miserável má gestão autárquica que conduziu Tomar ao declínio,à descaracterização,à desertificação,à queda demográfica,à ruína da actividade económica,à falência técnica da Câmara/Município.

RELVAS - O ideólogo, o mandante.

PAIVA - O predestinado executante.

Com que então só interessa falar da continuação do desastre pós-casório de interesses PSD/PS ?!

Em que a PRIMEIRA razão para o concubinato foi assegurar o lugar de Presidente da AM a um Relvas afastado de protagonismos por MFLeite.

HAJA VERGONHA!
HAJA DECORO!

António Rebelo disse...

Para anónimo das 12:40

Concordo inteiramente e aplaudo a parte final do seu comentário: Haja vergonha! Haja decoro!
Acrescento até: Haja coragem e frontalidade para assinar e assumir publicamente as bacoradas que se escrevem!

António Rebelo disse...

Para comentário das 12:40

Num outro estilo de resposta, indo mais ao tutano da questão, um vez que ainda não perdi o hábito de procurar ensinar a pensar: Criticar o concubinato tomarense PSD/PS ainda vale a pena, uma vez que, se acabasse antes do fim deste mandato, nos poderia poupar a todos algum tempo e mais alguns disparates e desastres.
Tentar criticar em tom de ódio Relvas e Paiva, serve para quê? Nunca lhe ensinaram que águas passadas já não movem moinhos? Sabe o que são moinhos de água?
Uma última questão:Onde é que você foi buscar essa de eu estar a tentar branquear Paiva e Relvas.
Desculpar-me-á a indelicadeza mas parece-me que você tem um espírito um bocado primário, do tipo bipolar. Olhe que o mundo não é nem nunca foi a preto e branco.Nem mesmo na guerra em África. E serene, que assim dá cabo do coração e depois já não tem remédio!

Anónimo disse...

Reduzir o numero de cargos de chefia não significa dispender muito menos em termos salariais.
A grande maioria das chefias na administração local estão nos escalões mais elevados em termos da suas categorias.
(Ex. um Director de serviços recebe mais 35 euros do que um assesor principal).
A.A.

Anónimo disse...

"
Nunca lhe ensinaram que águas passadas já não movem moinhos? Sabe o que são moinhos de água?
"

O problema é que Relvas ainda não passou totalmente. Ele teima em continuar na roda do moinho, alapado às tábuas do mesmo. E como tal, urge elucidar a população de que o que aconteceu em Tomar pode muito bem repetir-se no Governo da República.

CARLOS ROSA disse...

Claro e o PSD perde as eleições graças ao Miguel Relvas. devemos estar gratos a este troca tintas trauliteiro que VALE ZERO e que nem os PSD verdadeiros acreditam nele.
Temos que correr com este embuste da cidade e receber o Passos Coelho com assobios, vaisi cartazes a dizer sê bem vindo mas sem o Relvas atrás

Anónimo disse...

Rebelo, onde é que se consegue o texto do acordo assinado com a "troika"?
Agradecido.

Anónimo disse...

No seu comentario das 12:40 o Rebelo pergunta "onde foi buscar essa de eu querer branquear o Cassola e o Paulino". Simples resposta, basta ler os seus escritos desde que entrevistou o Relvas. Sem segundos sentidos, digo que você ficou apaixonado. Isso é visivel para todos nós, que seguimaos com atenção e respeito as suas opiniões.

António Rebelo disse...

Para anónimo em 18:07

No site da UE ou na delegação da Comissão Europeia em Lisboa, Edifício Jean Monet. Igualmente em cmjornal.pt ou na edição impressa de 14/05

Anónimo disse...

Para anónimo das 18:07,

Consegue o texto integral,traduzido para Português, no blogue "Aventare".