domingo, 9 de junho de 2013

Tomar: Outra vez a liderar o progresso

Não sei se será positivo, mas verdade é. Cinco séculos volvidos, Tomar volta a estar na ponta do progresso. Com o senhor Infante e a partir de 1420, a Ordem de Cristo, dona de Tomar, laçou-se nessa espantosa aventura, mais conhecida mais tarde como "Epopeia dos Descobrimentos Portugueses". Foi de tal forma importante e condicionante para a zona que ainda hoje muitos tomarenses vivem a sonhar com esses tempos, que trouxeram sucessivamente especiarias, escravos e o ouro do Brasil, levando muito emigrantes para África, Ásia,  Brasil e ilhas atlânticas
Pois em 2013, no Porto, capital do norte e do trabalho, haverá quem tenha decidido imitar a mais recente inovação tomarense, que consiste em disputar eleições contando com ajudantes para captar votos aos adversários. Exactamente como tem vindo a acontecer aqui pelas margens do Nabão, desde as autárquicas de 2005. Com os magníficos resultados conhecidos de todos.
Claro que os visados vão sempre negar, com todo o direito, de resto. No entanto, deixando o Porto aos portuenses, como convém, aqui nesta desgraçada terra gualdina, que dificilmente aguentará mais tropelias políticas, convém questionar desde já: Se não é verdade, então porque não se unem para vencer o PSD?
Entretanto convém ler esta peça de Paulo Ferreira que, ao redigi-la, quase de certeza  nem conhecia a lamentável experiência tomarense, já com quase oito anos de prática no terreno:

Jornal de Notícias, 09/06/2013

4 comentários:

templario disse...

DE: Cantoneiro da Borda da Estrada

(Tenho que fazer aqui companhia ao Dr. Rebelo. Está muito sozinhito. Resultado daquela manhã fatídica no Café Santa Iria)

Está a ver Dr. Rebelo! Aqui está um exemplo acabado da natureza das candidaturas independentes, razão por que não nutro nenhuma simpatia por elas, nunca botaria voto por nenhuma. Este Sr. Cardoso beneficiou nos últimos anos de contratos no valor de cerca de 200 mil euros com a câmara de Gaia presidida por Menezes.

No caso de Tomar, a persistência do Dr. Pedro Marques é lamentável, só serve para beneficiar o infrator, e, quiça, para manter o seu nome no cartaz, talvez para beneficio da sua actividade de advocacia (é uma especulação). Obviamente, a sua candidatura beneficia o PSD relvista, que usou a autarquia tomarense e os interesses dos tomarenses para montar um conjunto de bandos de assalto ao poder em Portugal.

Estes independentes não divergem por ideais, por princípios, por programas. Querem pastas, querem poder. Poder pelo poder. Às vezes fingem ter uma tendência política diversa. Não têm! É mentira! Eles enganam as pobres gentes. Não têm coragem e humildade de travar a luta política no interior dos partidos (que lhe deram projeção). Habituados a privilégios que conquistaram à custa de abuso do poder que tiveram, não fazem mais que semear junto das populações oposições em torno de individualidades. Para eles só há duas situações possíveis na política: ou uma oposição facciosa ou uma pasta; essa pasta pode resumir-se a ter o seu nome no cartaz publicitário...

Os partidos são ainda, apesar de tudo, os pilares da nossa democracia. E ela está em risco de desaparecer.

Os que se movem à volta do Dr. Pedro Marques, devem interrogar-se sobre quais as vantagens para as comunidades em alimentar uma candidatura divisionista e, objetivamente, ao serviço do candidato da camarilha relvista.

O SR. Carlos Carrão está há muitos anos na câmara e os resultados são desastrosos. Uma tragédia!

António Rebelo disse...

Não estou a ver de que manhã fatídica se trata.

templario disse...

DE: Cantoneiro da Borda da Estrada

Não foi lá que teve lugar a entrevistas a Miguel Relvas?

António Rebelo disse...

Não. Foi no Pepe. Mas não me queres dizer que esta crise sem fim se deve à actuação política de Miguel Relvas ?! É que se assim fosse, o homem era ainda mais poderoso que o Obama, uma vez que há crise por todo o lado...