quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Análise da imprensa regional de hoje

"Câmara de Tomar quer aderir ao PAEL à revelia da Assembleia Municipal", titula "O MIRANTE" na primeira página. Trata-se de mais uma bizarria do presidente Carrão, que assim mostra estar disposto a cumprir a lei só quando tal lhe convenha. Por este caminho, ainda agora a procissão vai a sair da igreja, uma vez que o PS já anunciou o recurso à via judicial, enquanto os IpT preferiram o protesto escrito. A triste verdade é que, com atitudes deste tipo, surgimos cada vez mais como os calhordas políticos do distrito. Como mostra este excerto da habitual secção "Emails do outro mundo": "Os presidentes das juntas de freguesia de Tomar estão a ser apontados como os maus da fita por terem abandonado a reunião da assembleia municipal na altura em que se votava o recurso a um empréstimo destinado a pagar os calotes da câmara aos fornecedores, É uma injustiça muito grande. Acusações destas não podem ser feitas de ânimo leva. Há que investigar. Saber o que realmente aconteceu. Não terão saído todos ao mesmo tempo para fumar, por exemplo? Não terão saído todos ao mesmo tempo para irem à casa de banho? Segundo sei, antes das reuniões políticas há sempre uns amigos que reúnem para petiscar. Será que o coelho à caçador tinha tempero a mais??!!! É por estas e por outras que eu já não acredito muito na objectividade jornalística. Então cabe na cabeça de alguém que os senhores autarcas tenham saído de propósito, fazendo com que a câmara não possa pagar e os fornecedores fiquem com as barbas de molho??!! Ná...não é possível."


CIDADE DE TOMAR também refere o caso do PAEL na primeira página, preferindo contudo fazer manchete com a bênção da nova imagem da padroeira Santa Iria. Realmente, com a crise que por aí alastra a olhos vistos, mesmo a menos de 40 quilómetros de Fátima não se perde nada em rezar aos santos da casa, que não fazem milagres, diz o povo. Os leitores interessados nas peripécias do PAEL têm na página 4 o comunicado dos IpT e "O que os tomarenses precisam de saber", subscrito pelo vereador Luís Ferreira.

Quase dois anos depois de o assunto ter sido abordado nestas colunas, O TEMPLÁRIO destaca em manchete "O escândalo dos telemóveis" na câmara de Tomar. Culpa do jornal? Se calhar não. É muito possível que só agora tenha conseguido obter a relação das despesas sumptuosas com um dos brinquedos para adultos mais difundidos no Mundo. Digo isto porque, aquando da solicitação de Tomar a dianteira, a autarquia só respondeu quando instada pelo poder judicial a fazê-lo. Feitios... Quanto ao sumo da questão, então como agora saliência para o clima de mais a mim, mais a mim, que leva a que nenhum eleito se queixe porque todos vão comendo à mesa do orçamento. Uns mais, outros menos; uns assim, outros assado. E a troika minoritária lá vai sobrevivendo.
Nas páginas 8 e 9, respectivamente, Mário Cobra e Luís Pedrosa Graça fazem o elogio fúnebre do conterrâneo Fernando Patrocínio, que nos deixou aos 79 anos.
Destaque também para a crónica de Hugo Cristóvão, a criticar forte e feio os laranjas locais e cujo título dispensa mais comentários: Mentirosos!

7 comentários:

Leão_da_Estrela disse...

Caro professor,

A propósito da capa do "cidade de Tomar" e das declarações de José Policarpo, que tenho o grato prazer de conhecer, "ofereço-lhe" o artigo do meu amigo Demétrio Alves no blog "praça do Bocage". Cá vai:

"Conheci pessoalmente, há muitos anos atrás, D. José Policarpo, hoje cardeal-patriarca de Lisboa.

Gostei de falar com ele enquanto, viciados no tabaco, dávamos umas passas no recatado aconchego de uma sacristia, esperando que as cerimónias oficiais que lá nos tinham levado começassem.

Inteligente e afável, D. Policarpo tinha uma outra característica que motivara a minha empatia: era irmão de um amigo sindicalista.

É também por isso que fiquei triste e perplexo quando o ouvi dizer, em Fátima, ser contra as manifestações populares, as quais, assim como as revoluções, “nada resolvem”.

A frase, como escreveu Batista Bastos, “é inquietante, proferida por quem é: um homem culto, conhecedor da História e dos movimentos sociais que explicam e justificam as modificações políticas”.

Mais grave, ainda, quando acrescenta: “Até que ponto é que nós construímos uma saúde democrática, com a rua a dizer como se deve governar?” e “O que está a acontecer é uma corrosão da harmonia democrática, da nossa Constituição e do nosso sistema constitucional.”

Aplicada esta visão dois milénios atrás, Jesus Cristo teria ficado encerrado nos estaleiros navais de José, ou, quando muito, limitar-se-ia a falar no Templo.
Hoje, D. José seria um desempregado da fé."

Ele há ocasiões em que se estivermos calados seremos enormes poetas...não é D. José Policarpo?!

Cordialmente

Luis Ferreira disse...

Estimado Prof. Rebelo

Apesar de já por aqui se ter abordado, publicado e analisado os gastos de comunicações no Município de Tomar, convido, com a sua permissão, os leitores do TD a realizarem mais uma vez uma leitura a Comunicações e operacionalidade na vereação socialista, onde se poderá entender outra das faces desta verdadeira vergonha, que é a não-gestão realizada há 15 anos no setor financeiro, de que é responsável Carlos Carrão(PSD).

Com as minhas melhores saudações
Luis Ferreira - Vereador

templario disse...

DE: Cantoneiro da Borda da Estrada

Pois é, Caro Leão da Estrela,
se osrepresentantes no governo de uma maioria eleitoral rompem o contrato com os eleitores, perdem a legitimidade e honra de seus mandatos; e, se não tirarem as devidas consequências (demitindo-se!), é legítimo ao povo usar de todos os meios democráticos para os tentar corrigir e, se necessário, derrubarem-nos (até por outros meios). Séculos atrás, setores oficiais da Igreja eram mais radicais, defendendo até a eliminação violentíssima do poder soberano, caso violentasse os povos. Nós, hoje, por enquanto, usamos meios democráticos para afastar eleitos pela maioria que traia, e um desses meios é manifestarmo-nos na rua. Se D.Policarpo esquece estes princípios dos teóricos do século XVI/XVII do próprio liberalismo político e económico (que eram cristãos), de que se dizem apóstolos os que agora nos governam, pois então é claro que volta costas aos milhões de fiéis que saem à rua. O que o incomoda é virem à rua bispos, a que chamam de "vermelhos", declararem que são patriotas e estarem ao lado do povo burlado. E isto não joga com esta milenar Instituição que nunca tirou dos miolos que são donos de Portugal. Na Grécia são a Instituição mais rica e poderosa, e talvez por isso este país esteja agora a sofrer mais. Mas o silêncio sobre esta realidade é de oiro...

Por Tomar disse...

Eu fico burro, porque não é para menos. D. José Policarpo está senil, só pode, este homem em tempos até foi critico das politicas de Socrates e agora vem com estas barbaridades para a rua, mais, ditas num local que supostamente nem se deveria falar de politica porque é sagrado e supostamente neutro. Que será que D. J. P. quer do governo para o defender assim? Sanidade mental já falta a este homem. O caricato desta situação é que na mesma semana em que ele profere estas barbaridades D. Januario Torgal critica fortemente este governo e estas politicas, o Bispo do Porto igualmente e o seu chefe máximo em Portugal contraria. Sobre o tema quente do "O Templário" e se te recordas Rebelo, escrevi montes de coisas sobre o assunto, custos de telemóveis. Parece-me e olhando aos valores que ali se transcrevem só tenho uma palavras a dizer: UM ROUBO, UMA VERGONHA, onde já se viu um vereador e um presidente de A. M. gastarem mais os dois em um ano do que todos os outros nos anos todos? Vem este homem e refiro-me ao vereador Luís Ferreira tapar o sol com a peneira, falar da vergonha no setor financeiro da camara e culpar Carlos Carrão das asneiras do Luís? Estará a ficar senil também? é incrível não fazer a leitura que devia fazer destes gastos exorbitantes e abusivos para os bolsos dos contribuintes? Nem me dei ao trabalho de ir ver o link que ele convida os leitores a ir a sua pagina, porque é sempre a mesma retórica, eles não têm culpa de nada, estiveram dois anos, dois anos convém lembrar que foi uma desgraça autentica a governação da coligação e agora querem-se desmarcar da porcaria que fizeram. Sr. Luís Ferreira, além dos gastos exorbitantes que ainda hoje continua a ser o campeão, sim hoje e ate Setembro de 2012 o Sr foi o campeão das comunicações e se fosse coerente consigo mesmo indemnizava a autarquia e pedia desculpa publicamente aos Tomarenses pelos gastos excessivos que praticou e continua a praticar sem qualquer cargo no executivo. Já agora deixo uma pergunta: Já entregou o portátil que lhe foi distribuído para desempenhar o cargo de vereador com pelouro? Provavelmente não e não o vai fazer porque continua a gastar o que não é seu, mas dos contribuintes.

Luis Ferreira disse...

O responsável pela gestão das comunicações da autarquia, quem as devia monitorizar, controlar, alterar os contratos, colocar limites, é há 15 anos o vereador, hoje Presidente Carlos Carrão.

Reafirmo e relembro que foi por minha iniciativa que, em 2010, terão sido alterados alguns tarifários então em vigor e que tinham um impacto significativo nos custos de comunicações do Municipio.

Relembro que a responsabilidade dos contratos é de Carlos Carrao. Relembro que os custos de comunicações baixaram substancialmente após a minha denuncia de 2010.

Informo que a catita atual, ainda elevada, dos sistemas há minha disposição são semelhantes ao vereador Pedro Marques.

Informo que os vereadores jose Vitorino e Luís Ferreira tem efetivamente portáteis distribuídos para o desempenho das suas funções na vereação porque, infelizmente a minoria que gere a Camara ainda nao disponibilizados a estes vereadores um espaço de trabalho adequado, onde tenham os meios, que por exemplo estão à disposição do grupo dos independentes.

E sim, é uma vergonha o que se passa na gestão das comunicações da autarquia. Devia havia controlo,limites e renegociação dos contratos. Em Julho deste ano, após ter requerido toda a informação sobre os gastos nos últimos anos, dei a sugestão de obterem novos contratos a exemplo do que os Municipios da Leziria fizeram. Aí os SMS custam 2 cêntimos. Em Tomar, custam 7.

Capice?

Por Tomar disse...

Capisco e de que maneira... hohoho se capisco. Aqui em Tomar você é mais conhecido que a Basilica de S. Pedro em Roma!... capice?
Não gaste o seu Italiano que já não convence ninguém... Eu conheço-o de gingeira.

Luis Ferreira disse...

Estimado Pof Rebelo

É uma pena que sob a capa do anonimato, continuem as tentativas de ataque de carácter à minha pessoa. Isto até já e recorrente, desde que em 2003 criei o Vamos por aqui. Por aí nada de novo. Como também não é novo misturar tudo, confundindo telemóveis, com sistemas de comunicações gerais. Como não é novo comparar situações completamente diferentes, como sejam entre gastos operacionais de executores ou gastos em comunicações de funções de representação.

Pena, pena é que a inveja, a incapacidade de gestão e a mais depudurada pouca vergonha, continuem a imperar em quem há 15 anos destroi o nosso dia a dia e quem, sob a capa do anonimato, procura confundir tudo e atacar quem legitimamente exerce o poder democratico dado, quer pelo povo em funções publicas, quer pelos militantes de um Partido, em contendas internas.

E o grande problema é que se tem procurado demonstrar que há um sem numero de melhorias possiveis de fazer, apenas e só com coragem, determinação e alguma visão. Foi o que fizemos na Cultura, no Turismo, no Parque de Campismo, em 2010 e na proteção civil e nos Bombeiros, em 2010 e 2011. Com resultados! Com divulgação! Sempre dando a cara e sem medo das balas.

Sempre assim fizemos e com tal atitude, muitas vezes perdemos e outras tantas ganhamos. E com ela tem ganho Tomar, para que não digam que são todos iguais. Porque não são!

Saudações

LF