quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Tendo em vista as autárquicas 2013

Ainda falta um ano. Mas as próximas autárquicas já mexem. Em muita coisa. Com muita gente. Torna-se por isso básico e por assim dizer imprescindível tentar balizar o caminho. Assim como se costuma fazer nas montanhas onde neva bastante: colocando postes de ambos os lados, para indicar os limites da estrada. Vamos a eles. Aos postes, claro!

1 - As autárquicas 2009 confirmaram o já antes constatado: Em Tomar, salvo improvável terramoto eleitoral, fora da trindade PSD/PS/IpT não há hipótese de aceder ao executivo.
2 - Já houve em tempos um vereador CDU, mas não terá deixado saudades, pelo menos a ajuizar pelos resultados eleitorais mais recentes.
3 - Salvo acordo prévio com os IpT, ou erros crassos do PSD, o PS praticamente não tem hipóteses de vencer.
4 - A situação política nacional e local é tão sombria que o vencedor das autárquicas 2013, se quiser ser sincero, apenas poderá prometer aos tomarenses "sangue suor e lágrimas", tal como fez Churchill durante a segunda guerra mundial.
5 - Sangue, porque muitos vão perder rendimento, emprego, mordomias várias. Suor, porque todos os empregos tenderão a ser postos de trabalho e os instalados nunca souberam o que isso é. Num emprego estafam-se verbas dos contribuintes. Num posto de trabalho gera-se mais-valia. Lágrimas, porque vão ser muitos os dramas pessoais, dada a quantidade de gente que continua convencida de que a crise é apenas passageira e depois tudo voltará a ser como já foi. Era bom era! Mas não passa de falácia.
6 - Sem lugares para distribuir, sem dinheiro para liquidar dívidas antigas e sem grandes hipóteses de reverter a situação rapidamente, convém que o futuro vencedor seja alguém tipo batedor/conquistador, com grande arcaboiço psíquico e intelectual, com Mundo e praticamente sem nada a perder, o que exclui à partida os mais jovens, os emocionalmente frágeis (lembrar caso Corvêlo) e os que pretendam vir a fazer carreira.
7 - Os problemas magnos são conhecidos: dívida, ciganos, mercado, rio, investimento, PDM, polvo burocrático, ligação Convento/Cidade, excesso de funcionários, projectos fecundos. Quaisquer que venham a ser as decisões adoptadas em cada um deles, muitos serão os prejudicados = descontentes, o que significa que o presidente de câmara estará "queimado" bem antes de ter cumprido sequer metade do mandato. Portanto, quem desejar fazer carreira, qualquer que ela seja, tem todo o interesse em agir em conformidade desde já.
8 - Seria um erro trágico e de consequências imprevisíveis caso os futuros candidatos se obstinassem a considerar que "há sempre dinheiro, basta saber procurá-lo". Esse tempo acabou. Doravante cada presidente de câmara terá de aprender a governar-se com os seus próprios recursos. As esmolas de Lisboa tenderão a ser cada vez menores e com tendência a acabar.
9 - Tendo em conta o que antecede, é pouco provável que em 2013 venham a aparecer tantas listas como em 2009. Se assim for, ainda bem. Em plena tragédia e estando em causa o nosso futuro enquanto cidade sede de concelho, do que menos precisamos é de animadores de pista e outros cabotinos com sede de protagonismo.
10 - Cuidado com o facilitismo, o improviso e o desenrascanço. É por causa deles que estamos como estamos e vamos para onde vamos, em marcha cada vez mais acelerada.

2 comentários:

templario disse...

DE: Cantoneiro da Borda da Estrada

Os partidos da oposição em Tomar têm que assumir, "custe o que custar", primeiro, que a situação política e económica é gravíssima, segundo, que este governo vai deixar Portugal de pantanas, terceiro, que o povo nos próximos dez a 15 anos não se vai deixar levar por folclores, festas e comezainas, arraiais e foguetórios, nem por cumplicidades tantas. Tão pouco vai papar programas de governações impressos à pressa com a campanha eleitoral a decorrer, menos ainda fechar os olhos aos nomes escritos nas listas candidatas. Não dá para decalcar os anteriores programas.

Os portugueses vão estar de olhos abertos, especialmente, nos candidatos, pela lição que tirou ao elegerem os estarolas que estão agora no governo. Os portugueses em próximas eleições vão estar atentos aos que jogam oportunisticamente no tabuleiro da conjuntura, e não vão admitir figurinhas para "enfeitar" as listas...

Sejamos francos! Há pessoas que não prestam para nada (politicamente falando), não acrescentam qualidade (pelo contrário), estão impregnadas de vícios que jamais abandonarão, e as tarefas políticas a desempenhar a partir de agora têm que ser dadas a pessoas com convicções e reconhecido valor imaginativo e criativo e grande humildade e paixão em representar os interesses das populações. E competentes.

Os partidos que se ponham a pau. É imperioso um grande cuidado nas escolhas dos candidatos, em política não há amigos (bem pelo contrário), está em causa o futuro do País, dos municípios, dos portugueses, das futuras gerações, do sistema partidário e da democracia.

Quem não provou sai fora.

É necessária uma brutal remodelação de quadros e candidatos.

Há pessoas que fariam um grande favor ao povo se se auto afastassem. O seu tempo terminou.

Na escolha de candidatos é preciso averiguar os interesses vários que os liga ao aparelho de Estado e outros. A maioria dessas pessoas não presta.

Exemplo claro são os protagonistas deste governo e sua entourage. O mandato não pode ser dado nem a sacanas nem a sacanitas.

Os partidos não são clubes nem comités eleitorais nem agências de emprego.

Por Tomar disse...

Vendo bem e achando que tudo está como azeite em agua, infelizmente em Tomar os candidatos vão ser os mesmos, ou seja, as mesmas forças e como o povo de Tomar é masoquista vão eleger os mesmos. Note-se que de Lisboa vem sempre as mesmas ordens, o ini-amigo Relvas vai escolher o candidato a cabeça de lista do PSD. Sabendo que este des-governo que está a levar o país a ruína, a assassinar a economia, a roubar aqueles que ainda poderiam contribuir para alguma coisa classe média, o nosso futuro é negro, sem esperança. Em Tomar esse cenário vai ser pior, quem quer tomar conta de uma autarquia falida? Se for PSD, penso que vai ser infelizmente para nós as mesmas linhas de rumo, ruína, pobreza e estagnação se não for regressão. PS, não conheço a Dra. Anabela Freitas como politica, pelas intervenções na Ass. Municipal, tem o mesmo rumo do seu chefe TOZÉ, muito fala e nada faz, mas eu até sei porquê e passo a explicar: Na conjuntura atual e o desgaste da coligação PSD/CDS-PP, nas autárquicas 2013 os partidos já citados vão levar um cartão, não sei se amarelo ou vermelho e o PS vê nestas autárquicas um grande furo para se tornar de novo na maior força politica do país. Por esta razão, "penso eu de que", o TOZÉ não ata nem desata e anda com falinhas e festinhas para ganhar tempo. Segundo as sondagens encomendadas pelo PS para as autárquicas, leva já uns bons pontos a frente dos partidos do atual des-governo. Mas com a Dra. Anabela Freitas na cabeça de lista, vem quem com ela? Os mesmos do costume? Não, nem pensar, sangue novo por favor, vereadores habituados a mordomias, cheios de vícios, e como diz o Rebelo no seu post, trabalho, muito trabalho, coragem para tomar medidas duras, mas justas e não vejo no PS, pelo menos dos atuais, homens com tomates para isso, vejo sim aqueles que querem ir ao tacho para se divertirem com a politica, brincar ao rápa, tira, põe deixa, retirar bancos de jardim porque não há pessoas para neles se sentarem, etc. IpT, ao largo deste mandato, na minha opinião nunca tiveram a possibilidade de mostrar o que poderiam contribuir para a autarquia, existe pessoas validas dentro daquele grupo, não os conheço a todos como políticos, mas digo e repito, com o timoneiro atual a frente em 2013, esqueçam,... Peneirando, mexendo, juntando tudo que em Tomar há, sairia uma panóplia de políticos para governar uma galáxia ou outro planeta mas nunca um município como o nosso.
Já agora, estava a escrever e lembrei-me! Ontem almocei em Alvaiázere com um empresário de renome daquela cidade ouvi isto: sabes que o próximo cabeça de lista do PSD a Tomar 2013 vai ser o Tito Delgado!... ele está em fim de mandato e não pode recandidatar, então vai para Tomar. Como, digo eu? Quase me engasguei, mas como diz o vereador do PS, em politica o que hoje é verdade, amanha é mentira e do PSD tudo pode acontecer: Para Cantoneiro da Borda da Estrada: Tem toda a razão, gostei de ler o seu comentário, mas na politica não há homens com eles no sitio que sejam capaz de tomar as decisões certas, mesmo que vá doer e acredite que acima de tudo, primeiro os interesses pessoais e dos amigos... Já não acredito em políticos a esperança está morta.