segunda-feira, 13 de maio de 2013

A questão do preço da água

Votar em gente assim?

A recente publicação do relatório da ERSAR, a entidade oficial reguladora do sector da água, saneamento e resíduos, veio pôr a nu a vergonhosa exploração a que os consumidores tomarenses são submetidos desde há anos, por uns autarcas que abusam sem ponta de vergonha da posição de monopólio do município nessa área. Sem concorrência, é o fartar vilanagem. Mas vamos por partes.
Não é preciso ser especialista em economia para entender que a raridade aumenta o valor e a quantidade embaratece. Basta pensar na gasolina. Na Europa custa um pequena fortuna, nos países grandes produtores é quase de borla. Nestas condições, sendo a região de Tomar tão rica em água (mesmo sem contar com a que metem os eleitos) que até abastece a capital e a mais populosa região do país, seria lógico que o corriqueiro líquido fosse barato por estes lados. Pois não senhor. Sucede exactamente o oposto.
Os consumidores domésticos do concelho de Tomar pagam a água mais cara de todo o distrito de Santarém. Exactamente 20 euros e 28 cêntimos por cada 5 metros cúbicos. Praticamente aqui ao lado e nas mesmas condições, os da Golegã  são mais felizes. Apenas desembolsam 5 euros e 94 pelos mesmos 5 metros cúbicos. Mesmo na região de Lisboa, com gente mais abonada, como por exemplo a nata da Quinta da Marinha -Cascais, paga apenas 13 euros e 25 cêntimos, o que sempre dá ao fim de um ano uma poupançazita de 84 euros e 36 cêntimos, em relação a Tomar. Merecem, coitados! É gente pobre!
Mas o escândalo da água em Tomar é ainda mais evidente se considerarmos todo o território do continente. Constatamos então que só sete concelhos praticam preços superiores aos tomarenses: Loulé Quinta do Lago e Vale do Lobo 35€21, Paços de Ferreira 23€57, Aveiro 22€58, Esposende 22€67, Trofa 22€00, Vila do Conde 20€41, Santo Tirso 22€53 e Cabeceiras de Basto 20€42. No extremo oposto temos os sortudos de Tabuaço, distrito de Viseu, que pagam apenas 2€50 cêntimos.
Se confrontarmos os técnicos nabantinos que estão na origem deste evidente roubo legal e inevitável nas situação actual, vão alegar que o custo dos serviços tem de ser pago assim ou assado. O que é verdade, mas só uma parte da verdade. Desde logo porque o problema é o mesmo em todos os outros concelhos, o que não impede que na esmagadora maioria os custos sejam de longe mais abordáveis e de acordo com os recursos limitados dos consumidores. Por outro lado, o problema local é mesmo o exorbitante preço da água, quando comparado com todo o país. Separando os três componentes do total de 20€28, temos: água = 9€66, saneamento = 6€04, resíduos = 4€00. Comparativamente, na Golegã é assim: água = 2€13, saneamento 1€93, resíduos 1€87, também por 5 metros cúbicos. Estarão a perder dinheiro? Ou os eleitos goleganenses são menos toupeiras que os tomarenses?
Para que conste, a água consumida no concelho de Tomar, no escalão dos 5 metros cúbicos, é a sexta mais cara do continente. Custa exactamente 1€93 cada metro cúbico. Pior do que nós estão apenas os consumidores dos concelhos seguintes: Paços de Ferreira 2€27, Esposende 2€30, Trofa 2€34, Santo Tirso 2€34 e Vila do Conde 2€43. O que nos mostra um outro dado curioso: os moradores e golfistas dos condomínios de luxo da Quinta do Lago e do Vale do Lobo podem continuar a dormir descansados. Pagam apenas 1€85 por cada metro cúbico.
Cada um sabe de si e com o mal dos outros posso eu bem. Em Tomar não me parece que o problema seja dos técnicos, ou só dos técnicos. É verdade que a autarquia é controlada por alguns funcionários. Mas isso deve-se à manifesta falta de capacidade dos sucessivos eleitos, à excepção de António Paiva, que graças ao seu grande sentido de liderança fez tudo quanto lhe apeteceu, incluindo as asneiras conhecidas de todos. Quanto aos restantes, é meu entendimento que Tomar só conseguirá sair do atoleiro onde se afunda a olhos vistos quando os protagonistas pseudopolíticos que temos abandonarem ou forem forçados a abandonar o hábito lamentável de armar ao pingarelho, candidatando-se a lugares para os quais na verdade não têm quaisquer habilitações capazes. Um pouco como os pedófilos, que aproveitam a ignorância e a boa fé das crianças, também os eleitos nabantinos têm mostrado tendência para abusar da ignorância e da boa fé da maior parte dos eleitores. Como está à vista de todos.
Votar em gente assim?!?! Não contem comigo! Deixem-se de afigurações e enxerguem-se. Depois podemos conversar.

1 comentário:

tomarense d disse...

"AUTÁRQUICAS 2013 - TOMAR: Carrão, Pedro, Anabela, tudo sopa da mesma panela. EM OUTUBRO NÃO VOTO."

E vão dois...