quarta-feira, 15 de maio de 2013

Até que enfim!


Estive a ler o programa eleitoral da CDU para as futuras autárquicas, o que me permite exclamar -Até que enfim! Após várias entradas em falso, uma força política tomarense consegue apresentar um programa devidamente estruturado, a tempo de suscitar um amplo e desejável debate, como de resto ´se pode ler logo na capa: "Proposta para debate". Significa isto, pelo menos para quem não seja principiante político, que a coligação PCP-PEV está aberta ao eventual alargamento a outras componentes, sem pré-condições do tipo antes avançado pelo PS: "Tudo é possível mas  eu é que encabeço a lista."
Quarta força política mais votada em 2009, a CDU constitui-se assim, a partir de agora, como eventual aglutinadora da única hipótese para desequilibrar a triste troika que tem vindo a fingir que nos pastoreia, quando afinal apenas nos tem esfolado, por opção (PSD) e por omissão (PS-IpT). Desejável seria portanto que a senda agora aberta pela coligação PCP-PEV fosse aproveitada por outras componentes da esquerda local (PS-IpT-BE) para derrotar finalmente uma forma de estar na política que já mostrou à saciedade as suas nefastas consequências. Naturalmente com cedências de parte a parte, que a política é assim mesmo -a arte do possível. Ousarão uns e outros? Logo saberemos.
Entretanto a formação que propõe Bruno Graça aos eleitores mostra-se fraterna e aberta: "Este não é o tempo do ajuste de contas. É O FUTURO QUE NOS INTERESSA." Mais um motivo para aproveitar o ensejo, de preferência levando em linha de conta o conselho de um nosso conterrâneo, ex-emigrante nos Estados-Unidos: "Os tomarenses têm de se deixar de penachos e começar a trabalhar a sério a favor de Tomar. Chega de armar ao pingarelho." Mais nada!

1 comentário:

Joaquim Gois disse...

Uma lufada de ar fresco !

Programa bem pensado e muito bem estruturado .

Os tomarenses só tem que aproveitar esta contribuição e melhorá-la.

Felizmente que ainda há gente que olha para a politica como a nobre arte de servir e com sentido de missão.

É o futuro que nos interessa . Está nas mãos de cada um de nós alterar este rumo ao abismo.

Portugal e o concelho de Tomar em particular tem todas as condições para ser uma "terra" com futuro .

Há que fazer "roturas" com politicas e maneiras de estar do passado.

Esperança e fé no futuro. Mas há que fazer por isso ...

Joaquim Góis