quarta-feira, 14 de março de 2012

ESPETADOS E MAL PAGOS



Bali - Indonésia - Cortejo de oferendas aos deuses

Tencionava aprofundar o escrito anterior quanto à previsível evolução económica da cidade, da região e do país. Acabei contudo por concluir que seria comida demasiado pesada e por isso indigesta para o fiel leitorado deste blogue. Virei-me depois para o anunciado colóquio sobre a Festa dos Tabuleiros, cujo programa pode ser lido aqui. Cheguei a ter uma peça escrita, que posteriormente achei demasiado longa e excessivamente contundente para esta altura. De forma que acabei por fazer outra opção: dar destaque  a escritos de duas das melhores cabeças políticas locais, felizmente com largo futuro à sua frente. Refiro-me a Hugo Cristóvão, ex-presidente da CP do PS nabantino e membro do parlamento municipal, cuja posição em relação ao colóquio partilho inteiramente, bem como a Luís Ferreira, vereador PS, que deu mostras de excelente dinamismo enquanto vereador da Cultura e do Turismo, apenas manietado e traído pela evidente falta de projecto e de liderança da relativa maioria PSD de então e de agora.
O post de Luís Ferreira, a ler aqui, além de bastante oportuno e percutante, permite aferir uma vez mais que o já célebre acordo ortográfico nos coloca por vezes ante situações equívocas. Escreve o dinâmico vereador que "O espetáculo [de Rita Redshoes], decorreu na passada sexta-feira, no Cine-Teatro Paraíso e teve apenas cerca de 50 espetadores." Donde é lícito deduzir que com tão poucos espetadores a autarquia se espetou, a produtora do espetáculo se espetou, a cantora se espetou e os contribuintes foram mais uma vez espetados. Com mais meia dúzia de casos semelhantes, será possível rodar uma comédia, certamente de grande sucesso, tendo por título  "Espetadores Espetados", "Tomarenses espetados" Ou "Tomarenses no espeto", consoante os grupos abrangidos. O tão vilipendiado acordo ortográfico -valha-nos ao menos isso- sempre vai permitindo estas e outras divagações. Como por exemplo partindo do título do texto ferreirista: "Rita Redshoes com 50 espetadores em Tomar". Os mal intencionados, que vêem alusões escabrosas por todo o lado, não vão deixar de pensar que com tantos espetadores numa noite, a senhora deve-se ter ido embora assaz combalida...
Discorrendo àcerca do anunciado colóquio sobre a Festa dos Tabuleiros, Hugo Cristóvão, é meridianamente claro: "Lendo o título, diria mesmo que é muito pertinente, uma vez que dá a ideia de se tratar de futuro. ... ... Lendo melhor os temas e vendo quem são os intervenientes, percebemos que afinal se tratará seguramente mais do passado. ... ... Discutir e preparar o futuro da Festa é urgente. Este pode ser um bom arranque." 
Numa frase: missa de sufrágio, que pode vir a ser uma excelente ocasião para lançar, durante as homilias, as bases da indispensável discussão refundadora da Festa. Focando nomeadamente os seguintes temas: -Apesar da contabilidade computorizada, passados 8 meses ainda não foram publicadas as contas da última Festa; -Fonte próxima referiu que a última edição terá custado 350 mil euros. A ser assim, 350 mil a dividir por 700 tabuleiros = 500 euros = 100 contos cada tabuleiro. Apesar de cesto, coroa, naperon, sapatos, vestido, rodilha, fitas e barrete do acompanhante, passarem de uma festa para outra, tal como sucede com postes, gambiarra, lâmpadas, etc. -Quanto a retorno transaccionável, continua a ser o nevoeiro total. Cada um garante o que mais lhe convém.
Se eu fosse sado-masoquista concluiria assim: "Abençoada crise, que vai obrigar a esclarecer uma data de coisas!" Como não sou, fico-me por aqui.

3 comentários:

jccorreia disse...

Caro Professor
Mais um texto com qualidade e oportunidade.
Mas agora temos um ponto de forte discordância: aceito e concordo que o Sr. Vereador Luis Ferreira(apesar da escola onde lhe nasceram os dentes, tem qualidade)e provas dadas. Espero que não se estrague!
Mas a jovem promessa Cristovão!!!??? Desculpará Amigo mas um individuo que aceita integrar uma comissão em que o somatório dos neurónios não entusiasma e , pior, subscreve um comunicado após a visita a T.Novas que é um atentado à meridiana inteligência e é redigido de forma a envergonhar qualquer escola de português nos PALOP julgo não merecer qualquer crédito. Para mim vai revelar-se um bluff.Poderá ser um nome grado se o Zé voltar.Mas isso não será abonatório.
É certo que há situações que ultrapassam e "dobram" a consciência de alguns.Mas já estamos fartos desse pagode.
Perderam definitivamente a credibilidade.
Pelo respeito que tenho pela sua honestidade politica e intelectual não poderei deixar de lhe manifestar a minha incompreensão pelos elogios que entendeu verter no texto a propósito de tal figura.

Cumprimentos

António Rebelo disse...

Todos falhamos. Todos temos defeitos. Uns mais, outros menos. Contactado, Hugo Cristóvão já admitiu que a qualidade redactorial do comunicado não é de primeira água, nem coisa parecida.
Há que dar-lhe tempo e oportunidades, penso eu.

jccorreia disse...

Se o Professor o diz...
Espero que nunca o venha a desiludir,sinceramente.

Cumprimentos