quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Em marcha atrás

Antes do 25 de Abril, quando havia censura prévia, sempre a autarquia tomarense elaborou e mandou publicar na imprensa local o resumo da acta de cada sessão. Depois, com a total liberdade de informação, é o que vê. Informação autárquica detalhada? Que é dela? Há um caríssimo boletim informativo mensal (se não me engano agora suspenso), mas só publica o que convém a quem controla o poleiro. Estamos assim à mercê dos cada vez menos representantes da imprensa que assistem aos chatérrimos conclaves autárquicos, bem como à episódica boa vontade do vereador socialista Luís Ferreira, que de tempos a tempos lá vai sacando das entranhas do monstro e publicando algum material interessante.
Desta vez somos contemplados com informação algo detalhada sobre os calotes municipais. Lendo aqui, fica-se a saber que o "calote oficial" é de 35 milhões de euros= 7 milhões de contos. Falta agora saber o montante da dívida real, ou seja, calote oficial + calotes no armário, por razões assaz conhecidas. Do calote oficial, destaque para quatro parcelas: Rodoviária do Tejo, Instituto superior técnico, Areal editores e SMAS Tomar.
A Rodoviária do Tejo está a arder com 743 mil euros = 149 mil contos, provenientes do défice da exploração dos TUT - transportes locais. Sabido como é que nas circunstâncias actuais aquele serviço custa aos contribuintes cerca de 80 mil contos anuais, não se percebe a passividade dos senhores autarcas, que nem suspendem o serviço, nem reduzem as carreiras, nem aumentam os preços, se calhar à espera que a dada altura, no próximo inverno, chovam euros, de preferência em notas de quinhentos, para não cansarem muito os rins a apanhar do chão...
No fundo, no fundo, estão apenas a procurar ficar bem na fotografia, tendo em vista as próximas autárquicas. Quem vier a seguir que resolva o problema!
A Universidade Técnica de Lisboa - Instituto Superior Técnico tem a receber 300 mil euros = 60 mil contos, facturação de trabalho realizado para o PDM e que agora não tem cabimento orçamental, o que significa que bem podem esperar sentados. É do domínio público que o PDM, mal alinhavado no tempo de Pedro Marques, é por assim dizer um processo maldito, ao qual nunca mais ninguém conseguiu dar a volta.
Outra vítima é a Areal editores, credora de 190 mil euros = 38 mil euros, supõe-se que de livros para a biblioteca municipal, ou para as escolas, ou ambas, vá-se lá saber, uma vez que a autarquia tudo faz para esconder despesas e outros actos...
Finalmente, os SMAS - Tomar aguardam um acerto de 100 mil euros = 20 mil contos, desde 2011, ficando por saber se de água, saneamento ou obras. Em todo o caso, esta dívida "interna", por assim dizer, permite pensar que estamos perante um caso de gato escondido com o rabo de fora: Se não há dinheiro para pagar aos SMAS, como se explica que, pelo menos oficialmente, a autarquia nada deva à EDP, mesmo com o ar condicionado dos Paços do Concelho, os pavilhões e os projectores do ex-estádio?
Ou muito me engano ou estas contas são do mesmo tipo do célebre submarino do Solnado -muito bonitas e bem feitas, mas não flutuam!

1 comentário:

João Pedro Escudeiro Alcobia disse...

Perante a situacao so me resta uma alternativa, chegou ao fim a minha paciencia, vou comunicar a Fundo Monetario Internacional, Uniao Europeia e ao Banco Central Europeu, a bandalheira que anda ai em Tomar. Tambem acabei ser informado, que senhor vereador Carrao, vai ser julgado por todos os anos de ma gestao financeira da camara, mas a lista vao se somar mais alguns. Para ja o carro da camara do vereador carrao fica estacionado em frente a porta da camara municipal, os telemoveis da camara municipal vao todos para dentro do carro do carrao, pois o professor poe umas correntes nas rodas com um cadeado. O prazo e ate ao fim do ano. Pessoal do secretariado do senhor presidente vai para rua, senao vou fazer queixa a troika. Eu estou a negociar a compra da divida da camara por do HSBC. Eu hoje pago o que for preciso, a para que isso mudar. Quanto a democracia, vai ser um trabalho dos peritos amnistia internacional(direitos Humanos), que ja esta a trabalhar na situacao, como eu pedi. Isto nao e uma ameaca e um aviso, que dentro de algum tempo sera pratico.

SW
London
U.K.

Joao Alcobia

Professor imprima isto SFF e entrege em mao ao executivo e a imprensa de Tomar.