quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Incongruências

É do conhecimento geral que a oposição, liderada nuns casos pelo PS, noutros pela CGTP e companhia, vem usando de técnicas de contestação que se julgavam definitivamente ultrapassadas, uma vez que delas nunca resultaram melhorias na vida das populações. Pois não senhor. À falta de melhores opções, eis-nos novamente naquilo que se pode apelidar de política hipócrita. Lê-se aqui que os socialistas são a favor da reforma autárquica, mas contra esta reforma; a favor de uma lei que responsabilize os autarcas na área financeira, mas contra a lei dos compromissos; a favor da reforma da lei eleitoral, mas contra a reforma cozinhada pelo governo... Em resumo, estão sempre numa posição semelhante à da Intersindical: são sempre contra o novo e portanto a favor do que está, contra o qual no entanto votaram anteriormente.
Se estivessem de boa fé, genuinamente preocupados com as populações e com o país, adoptariam um método que tem dado e continua a dar excelentes resultados por essa Europa fora, sobretudo lá mais para o norte. Como não há reformas perfeitas, aceita-se a implementação daquelas que já foram decididas, procedendo-se depois à sua correcção, consoante os problemas entretanto detectados. É o chamado pragmatismo, que tanto assusta a esquerda que temos. Eles lá sabem porquê.
Outro caso de evidente hipocrisia é o da autarquia tomarense. Desgovernada por uma maioria relativa, sem planos, nem ideias, nem autoridade ética, encontra-se totalmente controlada por uma camarilha instalada no seu seio, conhecida de todos os eleitores mais envolvidos nestas coisas. Requerimentos que lá caiam, por mais simples que sejam, levam anos a despachar. Há até casos de comédia, como o daquele projecto de instalação de ar condicionado, numa rua da cidade antiga, indeferido passados 13 anos...
Sabedores de tal estado de coisas, cidadãos mais interessados em governar a sua vida, criar riqueza e viver sem ter de aturar chatos profissionais, que criam dificuldades por cima das secretárias, para depois venderem facilidades por baixo das mesmas, procuram navegar à vista. Só que aqui em Tomar quem mais ordena é o polvo municipal.
Investidores estrangeiros compraram há algum tempo a Ilha do Lombo, as Limas Tomé Fèteira, em Vieira de Leiria, e estiveram também interessados no ex-Convento de Santa Iria. Com ligações a um ex-autarca, após constatarem que não era possível encarar a duplicação do Arco de Santa Iria, para cima, para o lado ou em túnel, de acordo com informação prestada nos serviços respectivos, desistiram do Convento de Santa Iria e concentraram-se na Ilha do Lombo. Não contaram com os longos e poderosos tentáculos do polvo autárquico, que acaba de conseguir mais uma brilhante vitória -as obras em curso foram embargadas por não terem projecto. Numa altura de tão grave crise, embargar um empreendimento que visa o desenvolvimento do turismo local e assegura postos de trabalho, é o pior sinal que se pode dar aos outros potenciais candidatos ao investimento. Mas contenta todos aqueles membros da nomenklatura que, sabendo-se já condenados, procuram fazer tudo para não morrerem sozinhos.
Pobre terra! Pobre gente!

5 comentários:

templario disse...

DE: Cantoneiro da Borda da Estrada

Vale a pena entrar no link referenciado no post, "lê-se aqui", para ler as declarações do historiador Adam Tooze, sobre o "O modelo económico alemão é insustentável", que também pode ser lido em

http://expresso.sapo.pt/o-modelo-economico-alemao-e-insustentavel=f754289

Não se preocupe, Dr. Rebelo, com as "técnicas de contestação" que estão a ser usadas agora pelas actuais lideranças da esquerda portuguesa.É só fumaça! É a mesma ladaínha, o mesmo oportunismo, o mesmo aconchego de sempre. Obviamente, se formos, quando formos, a votos, vou votar à esquerda. Que remédio...

Que a recente alteração à TSU é a expressão mais acabada de falta de vergonha de uma direita que nunca se conseguiu "endireitar" depois de Abril em torno de um partído a sério, não deixa dúvidas: preferem o frentismo, mais ou menos como o BE, "Juntar forças!", "Juntar Forças", que apenas junta bandos de apóstatas, ressabiados e brincas na areia esquerdalhas.

O futuro próximo (que pode ser já àmanhã) vai provar que a alteração da TSU foi a tábua de "salvação" para estas lideranças dos partidos da esquerda portuguesa, responsáveis também pela situação em que estamos, ao recusarem o PEC IV (e não só por isso), tentando apagar o crime cometido sobre o próprio povo.

O ardil é genial, reconheçamos arrojo e mestria na decisão de introduzir a TSU no meio de medidas altamente injustas e escusadas; o isco foi trincado com a força e guloseima da dentuça de um poderoso tubarão. Até Mário Soares, que não costuma deixar-se enrolar por tais jogadas, diz agora: "Se o governo recuar na TSU é porque ouviu o povo"(só ele sabe no que se fundamenta para fazer esta afirmação. Eu julgo saber...).

Ora as manifestações por todo o País no dia 15 foram marcadas quando ainda não se conhecia a alteração à TSU!!!! E não é isto espetacular!!!! A tal "Nomenklatura" parece que vai respirar....

A nova e singela dirigente do BE, por expl., Catarina Martins, que é atriz..., rejubila com a alteração à TSU: "É um marco muito forte! (...) Quando foi anunciada a alteração da TSU dissemos imediatamente que apoiaríamos a manifestação de 15 de Setembro, a greve geral e todo o confronto parlamentar"("Público de hoje"). E porque não antes?! Como a da "à rasca"? E porque é que o PCP só apoiou as manifestações à última hora, depois de ser lançada a questão da TSU? O melhor é cada um pensar por si sobre este paradoxo de traição e oportunismo. O isco foi bem escolhido. Sim senhor! Parabéns ao estratega!

Começa a cheirar a poder a esta esquerda que não se renovou, que está alapada na tal "Nomenklatura", com a velha cultura de exercício de poder, estimulada pela "gosma", termo muito usado na nossa terra, quando as crianças mal alimentadas arregalavam os olhos para um cobiçado naco de queijo e boa broa. A TSU foi a Nossa Senhora de Fátima para estes oportunistas,também responsáveis por muitos desvarios na pátria. Sócrates foi o diabo que apareceu nas suas vidas, não só a estas quadrilhas da direita.

Depois da miserável traição que foi a recusa do PEC IV e a perseguição inquisitorial ao ex-Primeiro Ministro, eis aí, por toda a parte, bandeirinhas da TSU ao dispor de qualquer sacana para erguer e cantar vitória, convencidos que abafam o passado recente. Esse "NÓ" que tem de ser desatado!

Este governo sabia a natureza da sua fominha...

Só que no interior desta esquerda putrefacta de tanto oportunismo, tem que haver uma revolução de alto a baixo. Metade dos que a polvilham têm que ir à vida, desaparecer da política, do sistema partidário. Não prestam!

Eles sentem isso, que estão a mais, e vão saltar e gritar com a bandeirinha da TSU empunhada: VITÓRIA! VITÒRIA! - como se fossem eles os guerreiros.

Figurinhas....







Leão_da_Estrela disse...

Caro professor,

DESCULPE????

Então o meu amigo defende que tudo o que os trabalhadores conseguiram ao longo de mais de 150 anos, desde a revolução industrial, lhes foi generosamente oferecido pelos patrões? está pois muito bem...eram tempos de vacas gordas e toca lá de, com mãos largas, dividir o seu lucro pelo povinho; agora que a coisa está preta, pedem desculpa e retiram aquilo que deram. Pelo amor da santa, professor! ambos sabemos que sem luta, ainda hoje nem um par de luvas se usaria numa metalúrgica! ambos sabemos que foi a luta que permitiu aos trabalhadores terem condições de vida decentes!

Já quanto a sindicalismo e relações entre sindicatos e governos e comparações com o norte da Europa, lembro-lhe que o maior e mais forte sindicato do mundo é alemão, o IG Metall e é parceiro privilegiado e respeitado pelo governo, e conhecendo alguma coisinha, sabe que não é propriamente um sindicato "amigo" do poder (eu por acaso fiz lá formação nos anos 80, conheço bem), a diferença entre o norte e o sul, meu caro, é que no norte, os governos entendem que os sindicatos devem ser parte integrante da solução e as empresas fazem questão de ter representantes dos trabalhadores ou dos sindicatos nas administrações. E cá?
Já lhe contei aquela do empresário sueco que querendo comprar uma empresa portuguesa, quando conheceu o conselho de administração, ficou estupefacto por nele não estar sentado um representante dos trabalhadores? um destes dias, com vagar faço-o!

E já agora, porque carga de água se há-de mudar a forma de luta, se a ameaça é a mesma? não me diga que advoga que os matemos como tordos?! não, certamente, mas já lhe será simpático que nós, os trabalhadores, baixemos as calças. Assim, como assim, só falta mesmo o lubrificante (que cautelosos e simpáticos que eles são).

Já a reforma autárquica, é assim como diz o outro, onde eu possa ser maioria dava-me jeito, onde não, não convinha nada. Mas não nos esqueçamos que a génese da coisa veio do PS...para memória futura.
A Lei dos compromissos, já disse que concordo com ela, é um empecilho a quem quer fazer negociatas, não me admira portanto que haja alguns personagens contra.

Cordialmente

Um aparte ao caro Templário:
Meu caro amigo, que diabo, fica-lhe bem essa sanha contra os partidos com responsabilidades no governo, que nos conduziram a esta desgraça, agora culpabilizar outros, que nunca exerceram o poder, é no mínimo intelectualmente desonesto...

Com simpatia

António Rebelo disse...

Prezado Edmundo:
Comente à sua vontade, que se será sempre publicado, desde que respeite, como habitualmente o tem feito, as regras da boa convivência democrática. Mas faça-me um favor: Não me ponha a dizer coisas que eu não escrevi nem penso. Pode ser?

Cordialmente,

templario disse...

DE: Cantoneiro da Borda da Estrada

Se o Dr. Rebelo recusar este meu comentário, nem de longe nem de perto lhe levo a mal.

É apenas para chamar a atenção dos seus leitores para o caráter de um dos LÍNGUAS ALUGADAS de Relvas e deste governo (Mário Crespo), que espalharam, sem cessar, por todo o país, ódio contra o ex-Primeiro Ministro José Sócrates. Foram tipos como este que contribuiram para uma séria golpada no nosso País.

Veja AQUI
http://sol.sapo.pt/storage/Sol/2012/big/ng1285858_435x290.jpg?type=big

e AQUI
http://4.bp.blogspot.com/-GUtZ1mn7nqg/UFtRm59VPBI/AAAAAAAAOlY/yU_nAsN5ExY/s640/crespo.jpg

Leão_da_Estrela disse...

Meu caro professor,

Longe de mim ser inconveniente.
Se sou mais contundente, é porque o que escreve me incomoda e penso que está a ser injusto e a ver as coisas por um prisma um pouco obtuso.
Eu sei que o blog é seu, logo nele escreve o que muito bem lhe apetecer, mas peço-lhe encarecidamente, para bem da nossa sanidade mental, que seja intelectualmente honesto na apreciação da realidade nacional, como o tem sido com a realidade local. Não é obrigado a ser consensual (nem eu, nem ninguém), mas o seu estatuto obriga-o a ser rigoroso, e é minha convicção que por vezes se "distrai"...
Não necessita, obviamente, de publicar esta resposta, que considero estritamente pessoal.

É sempre um prazer "pelejar" com o meu amigo

Cordialmente