domingo, 25 de novembro de 2012

Mazelas tomarenses

Custa muito, mas tem que ser. Quando está a chover, não é honesto informar que o céu está límpido e faz sol. O mesmo em relação à nossa querida terra. Todos sabemos que a doença é grave e os respectivos sintomas cada vez mais numerosos e evidentes. Seguem-se mais dois:


Na Rua Aurora Macedo, sector poente, em pleno núcleo histórico e a 50 metros dos Paços do Concelho, um longo troço da calçada está assim há meses. Cansado de esperar pela reparação, o vizinho do lado já resolveu colocar aquele improvisado mas muito útil sinal de perigo. O mais curioso é que entretanto os calceteiros camarários já por aqui andaram pelo menos duas vezes. A mais recente foi na sexta-feira passada, quando repararam duas outras mazelas. Mas informaram que não tinham ordem para cuidar desta que a fotografia mostra. Coisas da burocracia autárquica. Mas que culpa têm os moradores que os funcionários e os eleitos nem sempre se entendam?


Continuam a proliferar por estes lados as reuniões, simpósios, seminários, conclaves, congressos, conferências, etc. A maior parte das vezes sobre turismo mais isto e turismo mais aquilo. Honra lhe seja prestada, o presidente Carrão vai a todas e em todas usa da palavra, para se gargarizar com os extraordinários recursos monumentais e paisagísticos desta terra e com o brilhante futuro que aí vem  Só não diz é quando.
É fora de dúvidas que caso houvesse aqui pelas margens do Nabão por exemplo um auditório capaz, devidamente equipado, um pavilhão multi-usos com as medidas internacionais e uma estrutura humana susceptível de fornecer eventos "prontos a usar", outro galo nos cantaria. Mas não há. Nem haverá tão cedo. Por agora o que temos são mazelas e mais mazelas, bem como equipamentos milionários de pouca ou nenhuma utilidade, devido a erros de planeamento e de projecto. Ou à falta de uma coisa e outra.
E depois há também as pequenas lacunas, a revelar desinteresse, desmazelo, deixa andar. Como esta sinalização, ali à saida do Hotel dos Templários, junto ao jardim. Assim como está, o painel serve para quê? Para ornamentar? Tenham vergonha!

1 comentário:

tomarense d disse...

Falta de Auditórios esta "cidade" não tem com toda a certeza.
No Politécnico são 2, no hotel existem 2 salas para reunioes, na biblioteca tambem existe 1 auditório, na Jacome ratton mais 1 auditório e pelo que parece os candeeiros foram bem caros...
Agora se estão bem ou mal equipados desconheço...