quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Análise da imprensa regional


Vários temas de interesse nesta edição d'O TEMPLÁRIO. Destacam-se dois. O mais inesperado será a aposta do vereador IpT Pedro Marques no imobiliário e na "gestão de frotas, pessoas e bens". Vem na página 6 e merece leitura cuidada, não só devido à actual conjuntura, nada propícia a aventuras empresariais, como também à circunstância de num desses negócios o outro sócio ser o marido da vereadora Graça Costa, parceira  de bancada do ex-presidente. Recorde-se que em tempos -quando era presidente da edilidade- Pedro Marques deu que falar no caso do posto de abastecimento da Estrada da Serra.
O tomarense J. A. Godinho Granada subscreve o outro assunto importante, que exige solução quanto antes. Trata-se da questão da propriedade do terreiro da Messe de Oficiais e do ex-Quartel General. Graças aos elementos que fornece e à clareza da sua exposição, a tarefa de encontrar os documentos que permitam à autarquia reivindicar ambos os bens encontra-se agora bastante facilitada. Oxalá haja vontade. E coragem! Este tópico será abordado de forma mais detalhada no próximo post, amanhã de manhã.


António Freitas assina no CIDADE DE TOMAR uma documentada peça igualmente sobre a propriedade do terreiro da ex-Messe de Oficiais e do ex-Quartel General, mas o prato forte da semana é o áspero texto do ex-vereador socialista António Alexandre. Que me recorde, é a primeira vez que um ex-autarca com muita experiência tem a coragem de apresentar as coisas tal como elas são e de chamar a um gato um gato. Destaco pela sua pertinência a parte final: "Podemos ser amigos e podemos discordar politicamente; podemos inclusivamente ser até compreensivos, mas não esperem que eu que servi na política e sempre assumi a política, possa desculpar os que levaram Tomar à actual situação. Nem que deixe de ter "amigos", isso não posso fazer nunca.
Ser autarca é estar na política; apoiar ou criticar, é política. Tudo é político, mesmo que o queiram negar. Quem não quer estar nem discutir política, não deve estar nesses lugares, e muito menos cometer erros caros, que fizeram de Tomar um concelho menor, que perdeu várias oportunidades nestes anos, devido aos erros dos seus políticos.
Não fui eu que cometi os erros; eu só dou nota dos factos, meus caros amigos. Até porque existia outro caminho." Em resumo, o melhor é relembrar a frase que encima a portada de Tomar a dianteira: "Quando o dedo aponta a Lua, os idiotas olham para o dedo." Pelos vistos, António Alexandre já chegou à mesma triste conclusão. Discutam os textos! Deixem em paz os respectivos autores, que são cidadãos como vós!


Fortemente causticado, tal como todos os outros, pela crise interminável que nos assola, O MIRANTE viu-se forçado a reunir numa só as duas anteriores edições - Lezíria do Tejo e Médio Tejo. O resultado negativo não se fez esperar: esta semana, sobre Tomar há apenas uma pequena local, na página 7. Noticia uma recolha de sangue. Quanto ao resto = zero. Nem as habituais secções satíricas "Mirante Cor-de-rosa" e "Cavaleiro Andante" se dignaram aproveitar as várias situações ridículas da nossa urbe. Podiam ao menos focar o caso do José Carlos, ex-hóspede das retretes de S. Gregório, agora impedido de vender os seus ovos autenticamente caseiros, pois a galinhas vivem no quintal, mas comem dentro de casa, com o pretexto de que não estão carimbados. É assim que o governo e a autarquia pretendem incrementar a iniciativa privada e os alimentos biológicos? As 15 galinhas pensionistas do Zé Carlos só comem frutas e legumes provenientes das sobras do Continente e do Intermarché. Esforça-se um homem e vai-se a ver...

3 comentários:

templario disse...

DE: Cantoneiro da Borda da Estrada

Quanto a mim, que só recebo o jornal "O Templário", destaco um artigo do Professor Clemente Pedro Nunes na edição desta semana, acerca de um congresso sobre Tomar, "Tomar: Consolidar o Presente, Preparar o Futuro", a realizar em finais de Setembro próximo, em que vai ser congressista. A sua leitura deixou-me a ideia de que poderá haver brevemente....
UMA CENTRAL NUCLEAR EM TOMAR. CPNunes está identificado como pertencente ao lobby português defensor da energia nuclear, personalidade muito íntima do grupo Mello, manifestou-se durante os governos de J. Sócrates contra as eólicas e fotovoltaicas. Querem lá ver agora que vamos ter ali para os lados do Castelo de Bode, onde este Especialista tem terras e casa de família, uma Central Nuclear, aproveitando as águas do Zézere, Nabão e Tejo? De um tomarensismo de vanguarda, escreve ele a certo passo: " "Mas no complexo dos homens que partiram e que criaram no Ultramar novas Pátrias, estão também os homens que ficaram ou retornaram e nesta terra física de geografia e beleza notáveis, souberam ao longo dos séculos ganhar o pão nosso de cada dia com o suor do próprio rosto". Digam-me lá se isto não parece mais poesia, nada condicente com um Alto Especialista das Químicas. Teremos aqui um novo António Gedeão?!

Já sabíamos haver um convidado especial, o jornalista da SIC JFerreira Gomes, o socorrista e hermeneuta das bacoradas deste governo.

Este congresso, parece, está a ser organizado aqui pelas bandas de Liboa. Quem será o organizador? Dei voltas à cabeça e não descobri.

Mas já não tenho dúvidas. Pela temática que se depreende do título do congresso, "Tomar: Consolidar o Presente, Preparar o Futuro", o próximo presidente da Câmara de Tomar vai ali ser anunciado (ou lançado). E digo "o próximo presidente", porque pelo andar da carruagem dos partidos da oposição....

"Consolidar o Presente"?!?!

Meu caro Dr.Rebelo, que me diz a isto? Conte à gente tudo o que sabe sobre este congresso organizado à sorrelfa. Ou já anda a ver navios?

Ou vai ser também congressista neste "Consolidar o Presente"?

Depois de tudo o que tem escrito sobre o presente de Tomar - politicamente, já se vê - não acredito que esteja a ser apanhado de supetão.

Não há dúvida de que o que está subjacente ao título do congresso, deita por terra todo o trabalho que tem desenvolvido, sabe-se lá com que esforço físico, mental (e até material) no Tomar a Dianteira.

"CONSOLIDAR O PRESENTE"?!

Ora essa! Até a barraca abana....


António Rebelo disse...

Pouco mais sei, meu caro Fernando. Apenas que se trata de um grupo de pessoas ligadas à Casa do Concelho de Tomar em Lisboa: Godinho Granada, Appio Sotomayor, António Freitas e outros. Quanto ao resto, estou como usualmente os americanos: Vamos esperar para ver.
Só mais uma nota: Pelo que tenho lido, parece-me estar implícito nos organizadores o mesmo receio manifestado por Marcelo Caetano aquando do 25 de Abril -que o poder (neste caso o município) caia na rua, que é como quem diz em más mãos. Deixo-te a conclusão...

Virgilio Alves disse...

Esperemos para ver, pela minha parte irei lá, ver, ouvir, e depois, se me parecer pertinente, falar.

Vamos, para já, dar o benefício da dúvida, também tenho curiosidade e, como ir, para minha pessoa, não é sinal de concordância com que poderá dali sair, já manifestei intenção d'ir.

Cumps