quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Mais uma sacanice

Resta um dia para votar >>>




Diz o povo que "Quem não tem padrinhos, morre pobre". Pudera! Vivemos no país da sacanice. Mais refinada ou mais tosca, há de tudo e para todos os gostos. Nem os ministros escapam, como se tem visto. Noutras terras e noutros países, as diversas instâncias de poder estão para servir os cidadãos. Em Portugal nem tanto. Regra geral, considera-se que os cidadãos é que devem servir o poder. Segue-se mais um exemplo, daqueles que dão vontade de bater com a cabeça nas paredes, para não dizer outra coisa.
Um conterrâneo, daqueles nados e criados no núcleo histórico e que amam realmente esta terra, resolveu mandar reabilitar um velho prédio, de traça modesta e comum, ali na Rua do Pé da Costa de Cima (ver fotos). Cumprindo a tradição, passou as passas do Algarve para conseguir as sucessivas autorizações e licenças, que a burocracia nabantina é do melhor e do mais complexo que existe neste país à beira-mar plantado.
A dada altura, após meses e meses a aguardar, foi autorizado a demolir o miolo, devendo manter as fachadas do prédio. Assim se fez. O resultado foi que as paredes exteriores, de blocos de terra compactada (adobes), não resistiram ao tempo e acabaram por ruir (ver foto). Entretanto, munido da respectiva licença, o proprietário, residente nos Açores, encarregou uma empresa tomarense de fazer a obra. Choveram dificuldades, por causa da ocupação da via pública, e mais isto e mais aquilo. O costume...
Agora, com os toscos praticamente concluídos, o dono da obra foi mais uma vez forçado a deslocar-se ao continente ...porque o IGESPAR resolveu processá-lo judicialmente, pretextando que mandou demolir as fachadas ilegalmente. É falso, como já vimos, mas que importa? Está-se mesmo a ver que apenas se procura sacanear mais um honrado cidadão, de modo a virá-lo contra a autarquia, contra o governo e contra qualquer forma de autoridade. Porque a triste realidade é esta: Agora que o prédio está estruturalmente pronto, respeitando a traça anterior, que pretendem as toupeiras do IGESPAR? Que se ressuscite a anterior construção? Se é o caso, o melhor será ir rezar a Fátima, em vez de se entreterem a tentar arranhar "as alegrias" dos cidadãos. Valeu?

2 comentários:

Leão da Estrela disse...

Caro professor,

Infelizmente isso é recorrente e não é só em Tomar.

Há por todo o País (parece-me que felizmente, cada vez menos) gente que confunde a missão de servidor público, com a de ditadorzeco. Aquele que tem um poderzito mixuruca e faz uso dele só para demonstar que está lá, que é lá preciso, quando o que deveria acontecer era não se dar por ele, tipo árbitro num qualquer jogo, e as coisas serem resolvidas dentro da Lei, de forma célere e respeitando os interesses e as expectativas do cidadão. Esta é, cada vez mais, a cara da AP. Esperemos que com gente nova na AP, as coisas se modifiquem para melhor.

Um bom Natal para si e para os visitantes do seu canto.

Cordialmente

António Rebelo disse...

Retribuo os votos de bom Natal. Acrescento votos de ano novo dentro do possível.

Conformadamente,