quinta-feira, 5 de novembro de 2009

OPTIMISMO BALOFO

Os habituais comentadores da nossa praça, mal foi conhecido o acordo PSD/PS, prognosticaram que não duraria muito. Dois anitos no máximo. Os eleitos, por seu lado, nada disseram em público, como é lógico, mas esfregaram as mãos de contentes (salvo excepções, que também as há) em privado. Tenho para mim, com o devido respeito, que se trata de optimismo balofo em ambos os sectores.
Por banda dos analistas amadores e outros entusiastas dos prognósticos, ninguém parece ter tido em conta que a citada coligação, mais do que política é utilitária. Foi a única maneira de garantir aos autarcas de ambas as forças a indispensável estabilidade emocional e profissional durante os próximos quatro anos. Coisa importante, pois nenhum deles conseguiria fora da autarquia as mesmas remunerações e outras vantagens que ali aufere. Nalguns casos, que não adiante esmiuçar, a diferença seria até de monta. Nestas condições, aconteça o que acontecer, chova vente ou faça sol, estabilidade e firmeza são as palavras de ordem entre os recém-casados. Alardeiam por isso um optimismo balofo, porque sem fundamento, aqueles que prognosticam eleições prematuras em Tomar, o que aconteceria pela primeira vez na história.
Mas os nossos autarcas recém-consorciados também não têm grandes motivos para proclamar vitória e/ou embandeirar em arco. O arranjinho entre ambos durará certamente até 2013, salvo improvável trambolhão de grandes dimensões. Contudo, os tempos que aí vêm não vão ser nada fáceis. Para ninguém. Se é que alguma vez foram. Antes de mais, porque em termos económicos os encargos do município aumentam constantemente e as receitas continuam a descer assustadoramente. Será que esta situação é susceptível de persistir durante todo o mandato, sem mudanças fundamentais ?
Depois, porque como bem diz o povo "quem não tem dinheiro, não tem vícios". Os senhores autarcas bem podem ir falando, por exemplo, dos museus da Levada e da terceira fase do Polis XXI. Sem fundos disponíveis, nem folgas para os contratar, sobretudo após o recente "aperto" da IGF, de pouco ou nada lhes valerão as já conseguidas participações do QREN, que só virão quando o município estiver em condições de honrar a sua parte.
Finalmente, sem planos adequados nem coragem para solicitar a sua elaboração, os que agora nos administram chegarão à próxima consulta eleitoral com pouca obra para mostrar e nula margem para explicar a utilidade prática da coligação em relação aos reais interesses do concelho. Preferiram um pássaro na mão, em vez de dois ou mais a voar ? Então agora vão-se preparando para o quem tudo quer, tudo perde.
Entretanto, nos outros municípios circundantes "o mundo pula e avança, como bola colorida entre as mãos de uma criança." Ah Gedeão, Gedeão ! Que falta que tu aqui fazes !

4 comentários:

Xao Xen Dai disse...

Pergunto eu: Tem este senhor Luis Ferreira aka @LuisTomar as necessárias qualidades de ponderação, equilíbrio e educação para ser representante dos tomarenses na Câmara Municipal de Tomar? A resposta só pode ser um grande, redondo e rotundo NÂO.

"LuisTomar: Porque não dás um tiro a esse comuna reciclado?" é a pergunta que faz a alguém no seu Twitter.

Uma vergonha.

Clicar para ver um screenshot que fiz já que ele, prudentemente, apagou o infeliz tuíte

Xao Xen Dai disse...

Estarão os seus correlegionários de acordo com ele.

Frei Gualdim disse...

Embora a recem noticiada inspecção arrase as contas da CMTomar a verdade é que o Curvelo/Relvas ao fazerem aquele estranho acordo com o PS de Ferreira/Cristóvão blindaram o novo executivo deixando as críticas para os IpT que também não estão isentos de culpa.

Se antes Tomar estava na lama, agora passou a estar na mer...

Sebastião Barros disse...

Para Frei Gualdim:

Vamos a ver, vamos a ver ! Pelo menos nós aqui no blogue não tencionamos aceitar a derrota antes do fim do jogo que ainda agora começou.