sábado, 26 de novembro de 2011

Brusca e vertiginosa aceleração política em Tomar

Foto copiada do blogue O Jumento
Metáfora do poder autárquico nabantino. A relativa maioria de capacete e a oposição de sapatilhas, finalmente unida e cheia de coragem. (Mas abaixo a violência! Somos um povo ordeiro e pacífico!)

Brusca e vertiginosa aceleração política nas margens do Nabão. Na Assembleia Municipal a oposição finalmente unida (e concertada?) rejeitou a revisão orçamental que inclui o medonho caso ParqT. Pouco tempo depois, o presidente em exercício, Carlos Carrão, declarou à Rádio Hertz que a pelos vistos inesperada traição do PS iria ter consequências, conforme noticiado no nosso post anterior.
Mais tarde, às 23H31, a Hertz lançou uma última hora, com o PSD nabantino a declarar que a coligação com o PS será denunciada no sábado pela manhã (hoje, portanto).
Sempre em cima do acontecimento, o socialista Luís Ferreira foi mais lesto. Cerca da uma da manhã colocou no seu blogue a participação do aguardado falecimento da coligação com o PSD, vítima de doença prolongada e incurável: "Comissão Política do PS Tomar decidiu hoje terminar a partilha de poder que tinha com o PSD, por 30 votos a favor, 1 contra e 1 abstenção". Está assim dada a machadada final na estranha mancebia, cuja morte prematura aqui se anunciou desde o início do mandato.
E agora? -Tudo depende da oposição, maioritária tanto no executivo como na Assembleia Municipal. Se tiverem a coragem e o bom senso de se manterem unidos, o futuro pertence-lhes. Indicarão à actual maioria relativa que, tendo em conta o actual contexto local e nacional, o único caminho benéfico para os tomarenses é a demissão em bloco, seguida da convocação de eleições intercalares.
Naturalmente, essa consulta eleitoral, se vier a realizar-se,  visará escolher quem exercerá o poder apenas até às próximas autárquicas "normais", em Outubro de 2013. Donde resulta que deverá ser circunscrita ao Executivo e à Assembleia Municipal. Àquele, uma vez que o problema reside aí e só aí. A esta, uma vez que o tipo de eleição adoptado é proporcional, condicionando assim, de facto, o número de representantes de cada força política  ao resultado obtido para o executivo. Já os presidentes de junta não são abrangidos, visto que, não havendo coligação em qualquer daquelas entidades, todos estão bem e se recomendam. Será, por conseguinte, caso venha a ter lugar (e oxalá que sim!) um escrutínio simplificado. Falta apenas saber se os eleitos da oposição irão ter a coragem de percorrer unidos e até ao fim o caminho que agora parece terem começado a trilhar. Coragem pessoal irmão! Tomar precisa! Tomar merece! Ontem já era tarde!

(Queiram desculpar, mas o verde é esperança!)

1 comentário:

cantoneiro disse...

Este verde fere-me a vista, use outras cores; mais hoje, com minha alma tomada de "chama imensa". Força Benfica!
---------------

Boas novas me dais Dr. Rebelo!

Como gostei do seu "remate"!

"Coragem pessoal irmão! Tomar precisa! Tomar merece! Ontem já era tarde!"

É deste modo que gosto do seu falar. Pois que valeria hercúleo trabalho neste blogue, que não fosse para apoiar e incentivar uma verdadeira alternativa centro-esquerda à Câmara da nossa terra?! Deixe-se levar, nesta área, pelas leis da natureza!

Nem poderia ser de outra maneira: O PS, lealmente, sem arrogância nem gula, chama o líder dos Indp's de Tomar que adotará mesma atitude.

Problemas pessoais não contam na política. Todos sabemos que os agentes políticos se detestam mutuamente, mesmo entre correligionários. Na política não há amigos: há "ódios e egoísmos", lá dizia o filósofo. Ou seja: "A política é a gestão de ódios e egoísmos", os mesmos que existem no seio da "classe" política. Mas a unidade de aço é sempre possível quando se acordam em produzir política Amiga do povo.

Ponham-se ao caminho e tentem levar convosco o PCP. Esqueçam as direções partidárias nacionais, impondo uma sólida coligação de baixo para cima. É disso que o sistema partidário anda a precisar.

Grande oportunidade para os partidos locais tomarenses (+ os Indep's), se forem a antecipadas, darem um sinal para todo o país. A melhor maneira para se reorganizarem, regenerarem.

Dêem esse exemplo a Portugal, e não perderão identidade. Pelo contrário.

Os eleitores apreciarão essa atitude responsável e coroá-los-ão de glória com vitória retumbante!

Avante Tomar, minha terra, minha Paixão!
----------

O Benfica vai ganhar 4 a 1.