terça-feira, 29 de novembro de 2011

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades...





As cinco fotos acima, obtidas esta manhã, narram uma história cujo cabal entendimento exige um preâmbulo. Antes porém, perdoe a insistência. Já votou aqui do lado direito? Já incitou os seus amigos a votar? Bem haja!

Nos idos de 60 do século passado, havia na Mata Nacional dos 7 Montes 16 funcionários e um parque infantil com uma funcionária municipal. Havia baloiços, escorrega e cavalinhos. Havia um quiosque a vender bebidas e um armário biblioteca aos dispôr das crianças e dos respectivos acompanhantes. Já depois do 25  de Abril, acharam que o equipamento até aí existente estava ultrapassado, tendo procedido à sua substituição por coisas mais radicais. Manteve-se o quiosque, mas fechado e a mini-biblioteca deixou de estar acessível.
Numa terceira fase, desmantelaram o Parque Infantil, alegando que havia o municipal, junto ao agora ex-estádio, com mais e melhor equipamento.
E chegamos à dita história, que é mais uma historieta. Numa Mata Nacional gerida pelo Instituto de Conservação da Natureza, através do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, o Município de Tomar, que não tem dado conta do recado no que concerne às suas normais atribuições, decidiu investir em obras de vulto. Já tínhamos as novas instalações sanitárias, com recepção e manutenção diária, o muito publicitado percurso pedonal requalificado e o arranjo da casa do guarda. Pois agora temos também uma estranha e decerto onerosa estrutura, com reprodução da Janela do Capítulo e tudo, para divertimento da petizada. Para além do gosto duvidoso, da oportunidade muito contestável e da prioridade inexistente, duas perguntas se impõem: Qual o interesse de um município praticamente falido em continuar a fazer filhos em mulher alheia? Haverá previsão de retorno por baixo da mesa?
À mulher de César, não lhe basta ser séria; tem de parecê-lo, tanto mais que -como disse um dia o Botas de Santa Comba- em política, o que parece é!

1 comentário:

cantoneiro disse...

Essa é que é essa!

Aguardam-se respostas.