sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Calvário já à vista...

Cidade de Tomar, 17/11/2011, página 10

Continua a interminável Via Dolorosa de Corvêlo de Sousa. Agora chegou à fase Sócrates/Berlusconi: vai falando, mas já não convence ninguém. Ontem esteve na Rádio Hertz, num Especial Informação de duas horas. Entretanto, Luís Ferreira deu mais uma forte marretada na coligação. Afirmou que o PSD tomarense não existe e desafiou os seus dirigentes a clarificar posições em relação a Corvêlo de Sousa.
Mas parece ter avançado tarde demais, o que não é costume. Conforme mostra a ilustração supra, não podendo substituir Corvêlo por Carrão na presidência da câmara, os laranjas vingam-se escorraçando-o do 1º Congresso Distrital de Santarém do PSD . Estarão lá todos os que contam no laranjal nabantino. Militantes e independentes. Incluindo os subordinados do ainda grande chefe: Carrão, Rosário, Perfeito, Monteiro... Só o presidente a prazo é que não. Triste sina para um cidadão independente, cujo enxerto no PSD está a ser rejeitado praticamente por todos os outros ramos...



Dirão os ainda "corvelo-sousistas" (se os houver) que a afronta laranja não tem qualquer importância, uma vez que os eleitores continuam a confiar na actual liderança autárquica, apesar de tudo. Será mesmo assim? A parede da empena sul dos Paços do Concelho tende a provar o contrário. Mesmo mal escrito, o grafito não deixa dúvidas. Está incompleto? Pois está. Se calhar para poupar tinta, que a crise não perdoa. Mas é fácil completar a frase, com a devida vénia aos alentejanos. JÁ CHEGA PORRA! ESTAMOS FARTOS! DEMITAM-SE!

4 comentários:

cantoneiro disse...

DE: Cantoneiro da Borda da Estrada

Há aqui um apagão que não é habitual no Dr. Rebelo:

-Qual das partes está atrelada ao Aranhiço Miguel Relvas?

Não é exigida resposta.

cantoneiro disse...

DE: Cantoneiro da Borda da Estrada

UMA NOTÍCIA IMPORTANTE E BOA!

O mais genial homem de Teatro português das últimas décadas, João Mota, do Tetaro da Comuna, TOMARENSE, foi convidado para Diretor do Teatro Nacional D. Maria II.

Uma medida inteligente, justa. Embora tardia.

Este estarola Viegas, da cultura, lá pariu uma decisão acertada.

O Teatro português está de parabéns!

Oxalá João Mota aceite.

Luis Ferreira disse...

Estimado Prof.

Lança uma questão interessante: Acha que os actores actuais alguma vez se demitiam? Mesmo que alguém lhes demonstrasse que não têm solução para pagar a divida que o PSD de Corvelo, Carrão e Rosário decidiram pagar e que o PSD de Paiva, Vicente, Fidalgo e Carrão decidiram fazer.

Acha que tão fracos actores, saberiam sair de palco como souberam os seus congéneres de Lisboa há uns anos
atrás e assumirem que era melhor haver eleições antecipadas, como aliás hoje na Hertz a Presidente do PS de Tomar vaticinou?

Ou acha que ainda vão perceber que falharam e assumindo com humildade isso, pedem ajuda a quem os
pode ajudar a sair pela porta grande em lugar e saírem pela porta pequena?

Ainda haverá esperança de Tomar não se afundar em "farsas teatrais de má qualidade", agora que o grande encenador nabantino, João Mota, se assumiu como Director do Teatro Nacional?

Tirei bilhete para a primeira fila e ainda agora o espectáculo está a começar... Vamos a isto!

António Rebelo disse...

Aprecio a atitude clara e frontal. No meu entendimento é de gestos assim que Tomar precisa, enquanto se aguarda o que poderá resultar da política da troika, implementada pelo governo.
Se não conseguirmos uma vez mais aproveitar o ensejo para inverter a acelerada marcha rumo à insignificância, será caso para perguntar se, enquanto nascidos e viventes nesta terra nabantina, não teremos um qualquer gene inibidor...