quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Mais uma promessa em vão...



Fotos de 24 de Abril de 2011

Mais uma promessa em vão, tentando intrujar a opinião pública. É quase sempre assim. Uma maioria autárquica que adora o segredo, quando resolve informar, ou atraiçoa a verdade ou diz coisas sem sentido. Noticia a Hertz que a autarquia já terá pressionado o empreiteiro da obras da estrada do Convento, no sentido de acelerar os trabalhos ou dar a vez a outro. Está-se mesmo a ver que foi assim, conhecido como é o elevado poder de decisão, a rapidez e a eficácia na implementação da actual maioria relativa...
É agora claro que ao vir tão longe apresentar uma proposta muito convidativa, o empreiteiro de Viana do Castelo estava já numa situação desesperada. Que o levou a não medir bem o alcance daquilo que estava a fazer. Resultado: não só os seus trabalhadores se comportaram como escravos em território inimigo (até ameaçaram partir-me a máquina fotográfica...) como ainda não pagou aos subempreiteiros que contratou. Tal como não terá estudado bem o projecto "que foi muito mal amanhado e está cheio de alçapões", segundo um empresário contactado para executar alguns trabalhos nesta empreitada, mas que recusou após visita ao local e estudo do projecto. Acrescentou não compreender como foi possível que uma autarquia "que deve ter arquitectos e engenheiros competentes aprovou semelhante coisa". Questionado sobre as alegadas lacunas, referiu a falta de elementos para consolidação dos vários taludes e de indicações precisas para a reparação das duas calçadas, "sobretudo aquela das pedras grandes, "paralelos" de um formato que já não se usa há mais de 50 anos". (Estava-se a referir à Calçada de S. Tiago).
Nestas condições, numa altura em que já se sabe haver uma assembleia de credores marcada para 9 de Janeiro de 2012 e trabalhadores sem receber desde Agosto, exigir o incremento dos trabalhos equivale a pedir chuva no deserto do Sara. Tanto o passeio ao longo da estrada asfaltada, como o arranjo das duas calçadas até já podiam e deviam estar concluídos. Simplesmente, o empreiteiro não consegue contratar ninguém para essas sub-empreitadas, dado que ainda não pagou as anteriores, por falta de liquidez, uma doença cada vez mais comum neste país e nesta terra. Resta-lhe ir tentando enganar a autarquia, convencendo os crédulos eleitos que agora só falta o tapete asfáltico para reabrir ao trânsito a Avenida Vieira Guimarães e começar o arranjo da estrada para o Casal do Láparo, por onde no estado actual das obras se faz o acesso de veículos ao Convento. 
Por outro lado, caso a autarquia resolva denunciar o contrato e abrir novo concurso, a exemplo do que fez há pouco tempo o autarca socialista de Ourém em relação à falida Aquino, dirigida por António Paiva, para  a conclusão de umas obras em Fátima, corre o risco de complicações sem fim, iniciadas com uma providência cautelar, como já está a acontecer no caso do santuário. Porca miséria! exclamariam os italianos...

5 comentários:

Virgílio disse...

SE TODOS OS FORNECEDORES tivessem os túbaros no sítio, os Tribunais eram invadidos por ACÇÕES EXECUTIVAS para cobrança de dívidas dos CMT (Caloteiros Municipais de Tomar.

Esta é fresquinha, de HOJE :




" 562208

Entrada:
08-11-2011
Distribuição:
09-11-2011

Exequente:Vianas, S.A.
Executado:Município de Tomar
Agente de Execução (Sol.):Carlos Cajada

2º Juízo

1494/11.4TBTMR

Valor:
10.070,64 €

Execução Comum (Sol.Execução)
Entrega Electrónica - Refª "


Não há dinheiro para pagar aos fornecedores mas, por enquanto, não falta para alimentar, principescamente, as vaidades de um vereador de um só pelouro, A TEMPO INTEIRO, à sombra de um contrato de mancebia destinado a partilhar a gamela e a assegurar o penacho ao ilustre "estadista", já quase "perpétuo" presidente da AM.

Que, COITADINHO, sendo um verdadeiro BERNSTEIN, nunca conseguiu ter executantes à altura...

FARTAI VILANAGEM!!!

Dizia o meu avô, e eu também.


Com todo o respeito,


Virgílio Lopes

António Rebelo disse...

Nos blogues, tal como nos outros meios de comunicação social, ou na política em geral, manda o bom senso e impõe o bom gosto que nunca se confunda uma embirração com uma opinião. Sempre que assim não acontece, estamos a contribuir para degradar a política e para dela afastar os melhores e mais empenhados.

Luis Ferreira disse...

"A inveja é a mãe de todas as cegueiras"

Virgílio disse...

"Eles pensavam poder abafar e vencer a verdade, que é sempre vitoriosa, ignorando que a própria essência da verdade é que quanto mais quisermos comprimi-la mais ela cresce e se eleva."

Fonte - Cartas ; Autor - Hus , Jan

Virgílio disse...

"Tenho a impressão de que certas pessoas, se soubessem exactamente o que são e o que valem na verdade, endoideciam. De que, se no intervalo da embófia e da importância pudessem descer ao fundo do poço e ver a pobreza franciscana que lá vai, pediam a Deus que as metesse pela terra dentro."

Fonte - Diário (1940)
Autor - Torga , Miguel